sustentável

10 Posts Back Home

Schumacher College – Uma escola sustentável

Por Regina Hostin* Viagem de estudos De Londres até Totnes, no sudoeste da Inglaterra, são mais ou menos 3 horas e meia de viagem de trem. Mas você nem sente o tempo passar. A paisagem é linda. Aos poucos o mar e o verde vão formando um novo cenário e você entra em contato com uma outra Inglaterra. A estação de Totnes é um charme. Pequenininha. E os taxistas, simpatíssimos. Já ali você começa a se sentir em casa. São vários os motivos que atraem os visitantes a este pedaço do universo, talvez ainda pouco conhecido. É possível estudar inglês em Totnes, sem estar cercado por muitos brasileiros, e também aprender mais sobre Cidades em Transição (Totnes é a primeira cidade em transição do mundo). O movimento foi criado pelo inglês Rob Hopkins com o objetivo de transformar as cidades em modelos sustentáveis, menos dependentes do petróleo, mais integradas à natureza…

A Carta do Cacique Seattle, em 1855

Em 1855, o cacique Seattle, da tribo Suquamish, do Estado de Washington, enviou esta carta ao presidente dos Estados Unidos (Francis Pierce), depois de o Governo haver dado a entender que pretendia comprar o território ocupado por aqueles índios. Faz mais de um século e meio. Mas o desabafo do cacique tem uma incrível atualidade. A carta: “O grande chefe de Washington mandou dizer que quer comprar a nossa terra. O grande chefe assegurou-nos também da sua amizade e benevolência. Isto é gentil de sua parte, pois sabemos que ele não necessita da nossa amizade. Nós vamos pensar na sua oferta, pois sabemos que se não o fizermos, o homem branco virá com armas e tomará a nossa terra. O grande chefe de Washington pode acreditar no que o chefe Seattle diz com a mesma certeza com que nossos irmãos brancos podem confiar na mudança das estações do ano. Minha…

É possível ser ecológico mesmo na correria do dia a dia?

Que nossa vida é corrida todo mundo já sabe e está cansado de ouvir. E nem sempre é possível diminuir o ritmo do nosso dia a dia. Venho compartilhar algumas ideias de sustentabilidade que consegui encaixar na minha rotina, e que não demandam muito tempo nem dinheiro. Eu acredito que é possível ser ecológico no dia a dia. –  Na hora de compras com cartão, sempre confiro  o valor na máquina e a primeira notinha  (do vendedor) e então dispenso minha. Pode parecer pouco, mas imaginem quantas notinhas uma simples loja emite todos os dias e multiplique por 365 dias. – Ao ir à farmácia comprar um remédio ou algo pequeno, dispenso a sacolinha plástica e coloco na bolsa. – No supermercado evito comprar produtos exageradamente embalados. Exemplo, shampoos: Para que embalar algo que já está embalado? Este tipo diminui o uso de embalagens em até 70%!!!! – Na cozinha,…

Você quer coleta seletiva no condomínio? Veja como é possível!

Muitas vezes nossa vida não é fácil, pois nos sentimos totalmente sós, como se nada estivesse dando frutos. Mas estão SIM. Nosso dia a dia é muito acelerado e requer resultados imediatos. Entretanto, o ritmo do Universo é outro. O ritmo da vida é mais devagar que o ritmo da internet, dos bancos, do whatsapp. A vida requer pausas; requer plantar, cuidar e colher. Olha que legal essa experiência. No mês passado, implantaram a coleta seletiva no meu condomínio e fui chamada para a solenidade de abertura por incentivar o projeto.  O que eu fiz de tão inovador? Nada…Eu simplesmente frequentei as reuniões de moradores e respondi  pesquisas de opinião, em que deixei clara a importância da coleta seletiva. O que eu fiz foi falar nas reuniões sobre o problema do lixo. Só isso. A coisa mais simples do mundo todo: FALAR. Falar uma vez, duas, três vezes. E olha…

Emoções sustentáveis geram sentimentos sustentáveis

Na moda de um novo amor, na voga da novidade liquidez, faltou algo que ditasse o rumo. Sentia falta de algo, enquanto outro sentia acolá, igualmente. Era a falta de sustentabilidade afetiva que nos ausentava, incompletava, era adornar o que de nós dá sustento. Quando nossas emoções sustentáveis geram sentimentos sustentáveis? Foram coisas assim que premiam, urgiam, rugiam sem saber. O nome disso, a nomenclatura daquilo. Tão esquecidos numa rotina polvorosa, de discursos decadentes, que se contradizem por novidade. Eu apenas me calava na indagação de uma novidade por novidade. Ser novidade só por ser. Isso que amanhã é descartável, como copo plástico, pessoas de plástico e afins de plástico. O que era a cultura do “novo”, agora já é tarde, como o vai e volta de nossas vidas, indo e vindo no espelho embaciado do banheiro. Fotos trocadas, post´s veraneio de uma vida boa, caras gentis, contrastes reais. O…

Quanto amor e respeito nós temos pela Terra?

Nosso planeta azul, nossa Mãe-Terra existe há 4, 5 bilhões de anos. Dá para imaginar o quanto de tempo isso significa? Já parou para pensar quanto amor e respeito nós temos pela Terra? A aparição do homem é bem mais recente, cerca de 200 mil anos. Também não consigo imaginar essa representatividade de tempo. Nossa mente não está acostumada com números tão grandes. Os cientistas conseguem descobrir e absorver melhor essas dimensões temporais. Mas, o que não é difícil de compreender é que nossa existência depende das boas condições de vida do planeta. Na nossa correria cotidiana, quase nunca paramos para pensar sobre nossa jornada aqui, e sobre o quanto estamos afetando o equilíbrio ecológico de Gaia. Nossa vida depende do ar que respiramos, e ele precisa ser puro; depende dos alimentos que ingerimos, e eles não nascem nas gôndolas dos supermercados. Eles vêm da terra, do solo fértil, alimentado…

O que te alimenta também te anima?

Como nutricionista, sempre me preocupei com o que nutre meu corpo. Mas, venho me indagando: o que nutre minha alma? É amplamente difundida a ideia que bons pensamentos e boas atitudes trazem coisas boas para nossa vida. Mas será que praticamos isto no nosso dia-a-dia? Somos diariamente inundados com grande quantidade de informações negativas: televisão, internet, conversas diárias, sempre com temas como a crise econômica, política, violência, terrorismo. E as coisas boas existem? Então, onde estão? Elas existem, sim! Porém, infelizmente não viram manchete. O mundo está cheio de pessoas boas fazendo o bem. Grandes e pequenos projetos de ajuda humanitária, animal, ambiental. Gente que faz a diferença na vida de outras pessoas. Gestos de amor e bondade que ficam esquecidos na avalanche de negatividade da mídia. Esta semana me propus um desafio: pensar, ler e divulgar coisas boas. No fim de semana quero ver filmes alegres, que me inspirem.…

Natureza Viva, Vida em Movimento: Eu Viva!

Nos últimos meses, tenho vivido no “flow”, na conexão com o que amo fazer que é ajudar as pessoas, e encontrando no meio do caminho, não pedras, mas lindos encontros. A alegria do encontro é possível quando estamos presentes e com corações e mentes abertas; quando respeitamos, acolhemos, sorrimos, geramos empatia, somos nós, não somos nada, ou melhor, quando “somos todos um”, como li na capelinha do sítio da Glória, em Amparo, num momento intimista, com os pés na areia, sentido a grandeza da simplicidade elegante daquele lugar. O humano, demasiadamente humano, é bom! Ao nos despirmos dos rótulos, ao não saber ao certo quem sou, abro-me para as possibilidades das descobertas, e permito que o outro me olhe sem preconceitos, pré julgamentos, sem amarras, e vá construindo comigo essa descoberta misteriosa que é viver o encontro. Quem sou eu?! Nem fácil, nem simples, dar essa resposta. Por que somos…

Minha Virada Zen – Por Chirles Oliveira

Há um ano, quando participei do SP+ZEN e assisti alguns palestrantes no MAM e vi o banner da programação, pensei e desejei fortemente participar da organização e contribuir de alguma forma para o bem da cidade. Sim, é possível ter uma cidade mais Zen, desde que as pessoas busquem um estilo de vida mais equilibrado, mesmo no meio da confusão do trânsito ou da correria do dia-a-dia. E para minha imensa alegria e felicidade, provando que o pensamento tem poder, hoje faço parte da organização da primeira edição da Virada ZEN, que contará com mais de 600 atrações, de 25 de abril a 1 de maio. Mas a minha Virada Zen terá um gostinho todo especial ao participar no dia 25 de abril, numa segunda-feira a tarde, da programação que acontecerá no UMAPAZ (Universidade de Meio Ambiente e de Cultura de Paz) situado no Ibirapuera, portão 7A. Farei uma palestra…

Vem aí a primeira Virada Zen com mais de 600 atividades gratuitas

“É possível, sim, ter qualidade de vida cultivando bons hábitos como meditação, yoga e outras práticas que proporcionam o autoconhecimento e a auto-observação. Ser Zen é ter uma atitude de paz e amor para com nós mesmos e com todos ao nosso redor.” É essa a mensagem que a Virada Zen quer espalhar pela cidade de São Paulo nos seus 7 dias de duração, de 25 de abril a 1˚ de maio, através de mais de 600 atividades gratuitas em cerca de 90 espaços públicos e privados. Entre os dias 25 e 29 de abril, mais de 80 espaço de Yogas, centros culturais, budistas e de meditação, escolas para desenvolvimento humano e expansão da consciência por toda São Paulo irão abrir suas portas e oferecer suas programações de forma gratuita. Alguns dos destaques da programação são: Dia 25, das 14h às 20h, palestras, workshops e danças no UMAPAZ, no Ibirapuera; Dias…

Navegue
teste