Postagens sobre prosperidade

O mundo precisa saber disso

Sustentabilidade - Andreia Lima - 2 de abril de 2019

Ontem, precisei fazer algumas coisas no shopping e dei de cara com uma loja de livros (até aí ok). Tinham três pessoas no momento em que entrei, e logo imaginei que aquele menino de cabelos compridos, tatuado, era o funcionário. Mas, logo depois, eu ali, distraída engolindo os livros, percebi que não tinha mais ninguém a minha volta… Continuar Lendo

Continuar Lendo

Gratidão e esperança no que virá. Feliz 2017!

Felicidade - Chirles Oliveira - 27 de dezembro de 2016

O campo energético responde a atenção consciente. Quando aprendemos a melhorar nossas técnicas de observação para intencionalmente afetar nosso destino, estamos a caminho de viver uma vida melhor, por nos tornarmos nossa melhor versão

Numa breve retrospectiva de 2016, penso que ele foi desafiador para muita gente, inclusive para mim. Mas, ao mesmo tempo, ele permitiu o fechamento de um ciclo. Às vezes isso acontece de forma aparentemente dolorosa, ensinando pela dor de que precisamos mudar nossos padrões mentais e vibracionais e, consequentemente, nossas atitudes.

Mergulhar no que se é, no que se quer, nas sombras escondidas por anos a fio, para vislumbrar um ser com mais sentido, propósito, amor e conexão com a VIDA…requer coragem, pois é um grande desafio, mas sinto que esse foi meu aprendizado em 2016.

Sem tanta correira no cotidiano e em conexão com a natureza, pude aos poucos, mergulhar no meu eu para descobrir o que realmente faz sentido para mim. Ás vezes, não sabemos muito bem o que queremos, mas é tão bom saber o que não queremos, digo que é a metade do caminho para uma vida mais realizada, feliz e sustentável.

Não quero apenas acordar, sair para trabalhar com o único propósito de ganhar dinheiro para atender a minha dimensão material. Quero fazer as pazes com a prosperidade e a abundância trabalhando naquilo que faz sentido para mim.  Minha missão é comunicar com amor, partilhar o saber com alegria, ampliar a consciência do amor à Terra Viva, à Mãe-Natureza, mergulhar no sentir do corpo e da alma, alinhando minha missão material e espiritual.

Quero continuar trabalhando com Educação. Esse é o meu propósito de vida, essa é minha missão e o desejo da minha alma. Como sei disso? Descobri que geralmente essa consciência se revela quando somos crianças e respondemos aquela fatídica frase: “o que você quer ser quando crescer?” . E eu queria ser professora…eu tinha uma lousa verde, giz e amigos para ensinar… ah, e os livros sempre foram meus bons companheiros de viagem.

Mas, mesmo cumprindo meu propósito como professora nas universidades pelas quais passei, eu estava sentido um certo vazio, uma certa descrença no sistema atual, uma necessidade de fazer diferente.

E esse ano, com a experiência do Certificado em Ciências Holísticas e Economia para Transição, pela @escolachumacherbrasil, descobri que é possível unir ciência e experiência intuitiva, educação  e natureza, alegria e poesia, lado direito e esquerdo do cérebro, tudo isso  traduzindo uma educação transformadora que conecta várias dimensões do ser: física, mental, emocional e espiritual.

Pequenos gestos, grandes mudanças. O que você faz importa e impacta

Estamos em tempos de transição, de mudanças de paradigmas,  e acredito que muitos caminhos irão se abrir para que uma nova consciência possa se expressar no trabalho, nos relacionamentos, na vida social impulsionada pela compaixão e pelo coletivo. É tempo de solidariedade, de co-criação, de conectar com o coração e com pessoas que vibram nessa sintonia do amor e  da transformação para um mundo melhor.

Que venha 2017 com a potência do ano 1 da realização. Que venha a economia compartilhada, a inteligência coletiva, as boas parcerias, um novo caminhar com desafios e alegrias, mas com significado na construção de uma nova realidade.

Desejo que possamos nos sentir encaixados no mundo por ouvir e atender a inspiração da nossa criança interior, ou seja, da nossa alma. Todos nós viemos ao mundo para aprender, amar, perdoar, expandir, evoluir mas, acima de tudo, deixar nossa marca no palco da vida. A consciência do propósito, do que é o nosso Dharma, é a fonte do entusiasmo de acordar todas as manhãs com alegria e inteireza.

Assim, iniciamos 2017 com o desejo sincero de que nossos leitores vivam e trabalhem com propósito, sintam alegria e felicidade, cuidem de si com amor, cuidem do outro com compaixão e da natureza com paixão!

Namastê! Gratidão Infinita! Abraço Fraterno

FELIZ 2017!!!

Continuar Lendo

Menos consumismo é igual a mais liberdade e qualidade de vida!

Sustentabilidade - Chirles Oliveira - 16 de março de 2016

15 de março é dia do consumidor, mas no lugar de ir às comprar que tal refletirmos sobre o consumismo que rege boa parte da prática da cultura do consumo? Você compra por necessidade ou desejo? Você se considera um consumidor consciente? O mundo está mudando, e há um movimento chamado de economia para transição pautada na experiência e não na posse. Há também milhares de adeptos do Movimento Simplicidade Voluntária que se inspiram no livro com o mesmo nome, de Duane Elgin. Continuar Lendo

Continuar Lendo

Não tem graça rir sozinho: Capitalismo e novas formas de consumo.

Sustentabilidade - Sandra Almeida Silva - 11 de março de 2016

Assim começou o meu dia:

– Mãe, quanto você acha que valem esses sapatos? Só usei  4 vezes, disse minha filha.

– Eu indaguei – Por quê?

– Ela respondeu: Porque eu vou vender no brechó da faculdade via Facebook.

Três dias depois. –  Mãe:  já vendi os sapatos, obrigada, o preço estava bom, vendi rapidinho, vou entregá-los amanhã. Continuar Lendo

Continuar Lendo

Quer saber qual é o seu propósito de vida?

Felicidade - Chirles Oliveira - 28 de janeiro de 2016

Em entrevista para o canal Felicidade Sustentável, Robert Wong revela como viver uma vida com propósito
 20160112_165526
Conheci Robert Wong em 1999, quando ele ainda estava presidente de uma das maiores empresas do mundo em recrutamento e seleção. Na época, eu trabalhava como jornalista da Seicho-No-Ie do Brasil e ele foi um dos palestrantes da Convenção da Prosperidade. A entrevista fluiu  maravilhosamente, e eu saí de lá encantada com a pessoa inspiradora que ele é. Depois, assisti sua entrevista no programa Mais Você, da Ana Maria Braga, falando sobre o lançamento do livro “O Sucesso está no equilíbrio”, de sua carreira de consultor, palestrante e escritor. E assim pensei: “tive o privilégio de tê-lo entrevistado também”.
 
Anos depois, o destino iria promover um novo encontro. Reencontrei Robert Wong na Virada Zen como um dos palestrantes do evento. Naquele dia, conversei com ele sobre a possibilidade de uma entrevista para o canal no Youtube do Felicidade Sustentável e com muita generosidade ele disse sim! 
 
Em janeiro de 2016, Robert Wong me recebeu em sua bela e requintada casa e com muita eloquência falou sobre propósito de vida, missão, sobre a verdadeira felicidade, sobre nossa decisão de sermos felizes e, vocês assistirão ao vídeo completo e apreciarão cada palavra, cada ensinamento.

A pergunta de um milhão de dólares: Qual o propósito da vida? “O propósito da vida é vier uma vida com propósito” (Robert Wong)

 
Depois da entrevista ainda continuamos conversando sobre o momento de transição pelo qual estamos passando, sobre a evolução da humanidade, das várias revoluções que já aconteceram e dos novos tempos que estão por chegar. O tempo da ampliação da consciência humana.
 
Segundo ele, há três tipos de pessoas: aquelas que não sabem e perguntam; as que sabem e transmitem, e ainda as que sabem, mas, sobretudo, praticam seus princípios e valores. Essas são as mais inspiradoras, e o mundo precisa de mais pessoas assim.  
 20160113_103249
Papo vem, papo vai e então perguntei: qual o segredo da prosperidade? Ele, com simplicidade respondeu: “Des-cubra-se e siga seus sonhos”. Segundo ele, prosperidade não é ter dinheiro, mas expressar nossa potência, missão e propósito de vida para realizarmos nossos sonhos.   E assim, finalizamos mais esse encontro de aprendizado, de inspiração, de inteligência emocional e de muitos sonhos!  

Assista ao vídeo com a entrevista feita com exclusividade para você que nos acompanha no canal Felicidade Sustentável. Se gostar, compartilhe com seus amigos, acredito que muitas pessoas irão se inspirar e encontrar seu propósito de vida!

#Abraço fraterno #Namastê

Chirles de Oliveira

 

 



Continuar Lendo

A Espera do Natal

Sustentabilidade - Sandra Almeida Silva - 12 de dezembro de 2015

 

Esperar o Natal nem sempre é muito fácil, pois ficamos cheios de expectativas, ansiosos e com aquela sensação de que novembro vai durar 60 dias.  Essa expectativa de felicidade futura, não é ruim, pode ser legal, mas se administrada corretamente. E pensando sobre isso, lembrei-me de uma ocasião.
Era novembro e como as mães de primeira viagem, estava cheia de ideias e energia com os filhotes.  E algo me incomodava muito no Natal, a impaciência dos meus pequenos na hora de ganhar os presentes. Eles mal cumprimentavam os parentes porque estavam compenetrados nos embrulhos em suas mãos, e no fundo eu senti um pouco de vergonha.
 Então, decidi fazer uma experiência com meus filhos. Eles tinham 4 e 7 anos na época. A ideia era fazê-los aprender a lidarem com a expectativa, ansiedade e frustação. Como será que se ensina a lidar com a ansiedade? E como se aprende? Como criar habilidades para superar frustrações?
Minha constatação empírica era de que nem tudo na vida nos será dado na hora, do jeito e como a gente deseja, portanto, aprender e ensinar a lidar com tais sensações sem parecer castigo, punição e sofrimento, é essencial.
Não queria que meus filhos associassem pessoas a coisas e coisas a afeto. Intuía que aquilo não os ajudaria na vida adulta.  Era preciso fazê-los criar musculatura emocional para aprender a lidar com a frustração. É como aprender a andar de bicicleta, no começo a gente cai, chora um pouco e depois vai ficando bom.
Como viver nos dias de hoje sem se frustrar? Como desvincular coisas materiais de afeto? Como saber esperar?  A ideia de ter filhos que não tivessem essas habilidades me afligia, pressentia que na vida adulta, a habilidade de lidar com frustrações e a espera seria um diferencial cognitivo em suas vidas.  (Ah! Mães!!!).
Então decidi que naquele Natal faríamos diferente.   Comprei os presentes das crianças em novembro, pedi que embrulhassem com caixas enormes, com bonitos papéis de embrulhos, cheios de fitas e laçarotes, e os coloquei na estante da sala em Novembro e anunciei: – Filhos estes são os seus presentes de Natal e nós vamos guardá-los até o dia 25 de dezembro. Por enquanto, eles ficarão aqui, na estante, esperando o dia certo chegar. (Era importante, não escondê-los), assim a imagem acentuaria a sensação.
 A cara que os quatro olhinhos amendoados fizeram quando eu disse, “vamos esperar até o Natal” fizeram me sentir a mais perversa e desumana bruxa sanguinolenta de Tim Burton.
Na primeira semana, os dois passavam horas apertando os pacotes, balançando-os, imaginando o que teria ali dentro. Faziam dúzias de perguntas, pediam dicas, charadas, games de adivinhações, tentavam me seduzir a todo custo. Eu resistia, intuía que aquilo era normal e não o contrário.  Até que chegou o dia, era Natal e então abriram as caixas e fizeram uma festa, gritinhos e suspiros. Felizes contavam para as tias, com os olhos brilhantes de orgulho que tiveram que esperar mais de 30 dias para abrirem os pacotes. E disseram logo em seguida: – O mais legal também foi ter aguentado, achávamos que não íamos conseguir esperar, mas aguentamos né, mamãe? Somos fortes!
Natal, a espera

Arquivo pessoal da Sandra

Yes!  Era a minha vez de gritar! Eles se sentiam fortes por ter conseguido administrar a frustação de não ter o que desejavam na hora e, portanto, perceberam que a espera nem sempre é ruim.  Essa é uma importante habilidade para lidar com dinheiro na vida adulta, “Tempo” é tudo em relação a dinheiro.  Feliz Natal e muita boa “espera” para vocês.
Continuar Lendo

Consumo & Experiências

Sustentabilidade - Sandra Almeida Silva - 14 de outubro de 2015

Após um mês mochilando pelos EUA voltamos para nossa vidinha diária e só posso dizer que aprendi o valor do custo agregado do Whatsapp. Fantástico. Economizamos muito com telefones.  Saí do Brasil com medo do cartão de crédito e firme no propósito de não sucumbir às delícias do consumo, já que estaria com uma adolescente de 16 anos a tiracolo. Continuar Lendo

Continuar Lendo

A Utilidade das coisas…

Sustentabilidade - Sandra Almeida Silva - 9 de setembro de 2015

Viajar com uma adolescente de 16 anos para os EUA é uma lição de economia, geografia e resistência, nada suave…

 
Esta viagem é o resultado de um teste empírico em que a mãe, esta que vos escreve, fez com seus pimpolhos quando estes estavam com 12 e 9 anos.
 
Na ocasião pedi aos meus filhos que olhassem para o globo terrestre e escolhessem um país para a viagem dos seus sonhos, e valia qualquer lugar.  A ideia surgiu a princípio para dar-lhes a visão objetiva de que nada é muito longe ou muito perto, nada é impossível, e tudo pode ser impossível. Tudo ou nada depende de nós mesmos e pode acontecer se assim desejarmos e planejarmos. Sem direitos a mimimi!!!
 
Queria tirar-lhes a ideia material do consumo e incluir o valor do dinheiro para as coisas que não possuem preço. Podemos consumir sonhos? Qual é o preço de um sonho? Seria apenas  um detalhe a aprender sobre a “utilidade das coisas”? Qual é a função de um SONHO na vida da gente?
 
Essa experiência da viagem dos sonhos foi o resultado esperado de 4 anos de poupança, que ela mesma fez. Mensalmente ela retirava uma pequena parte de suas economias para a viagem. A espera foi por vezes um sucesso e em muitas, tortura. Passamos por todos os sentimentos, da completa desconfiança de que esse dia chegaria, a vontade de saquear o cofrinho para comprar “algo de extrema” urgência.
 
Passamos pelo ódio mortal da minha filha em não poder “usar seu” dinheiro guardado para comprar o imprescindível modelo de celular que “todo mundo tem” e eu como mãe, sofri diversos tipos de Bullying (da família, dos amigos, etc.).  Eu queria saber se minha adolescente ainda possuía sonhos, conseguem esperar, podem planejar e se ainda são um pouco parecido com que eu fui há alguns anos …
 
Ufa! Acho que sim, mas updated!  Igual mais diferente! É preciso argumentação… das fortes, mas está tudo lá, guardado, só mudaram as embalagens. O santo Google é bom, nós como pais é que devemos mostrar “a utilidade das coisas”.
 
Bem chegou o grande dia, vou tentar mostrar a “utilidade” das coisas na Meca do consumo, NY City! E aprender com esta adolescente o que é que atrai tanto no consumo de qualquer coisa que seja importada.
 
 Pela lista da Bia das “coisas básicas, úteis e imprescindíveis para a sobrevivência decente de qualquer menina de 16 anos” acho que terei mais uma longa aula sobre a “VPL” (valor presente líquido), afinal entender a efemeridade do consumo é preciso mais do que o Google ou de poupança, é preciso viver e como sempre digo a Liberdade Financeira é uma das principais liberdades do ser humano, e para atingi-la é necessário que suas finanças sejam sustentáveis!
 
 Escrevo sobre o resultado quando voltarmos Deseje-me boa sorte! 


Serviço: Poupança de quatro anos, de $ 50 a $70 por mês. Serão 28 dias de mochilão nos EUA, 6 hostels, 2 hotéis, divididos em 5 estados. Hostels e hotéis na faixa de $50 a 65 dólares por pessoa, Alimentação $ 30 dólares por dia por pessoa, transportes internos (trem e ônibus) média por trecho, $65 dólares, o resto é diversão. Passagens áreas, $ 2.800 compradas com 7 meses de antecedência. 
Continuar Lendo