Postagens sobre orgânicos

Alimentação saudável e as alternativas para o bem-viver

Vida Saudável - Lara Gois - 29 de outubro de 2018

Olá a todos, sou a Lara Gois e estou muito feliz por ter sido convidada para passar um pouquinho dos meus conhecimentos de alimentação saudável por aqui, a fim de inspirá-los  a ter alternativas para o bem-viver… gratidão a esse veículo, Felicidade Sustentável.

Continuar Lendo

Continuar Lendo

Entrevista sobre Sustentabilidade para TV

Na mídia - Chirles Oliveira - 20 de outubro de 2018

 

Entrevista sobre Sustentabilidade concedida ao Programa de TV “Nosso Programa”, produzido pela RitTV, no dia 25 de setembro, data em que se comemora o Dia da Ação Global para os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável). Continuar Lendo

Continuar Lendo

Schumacher College – Uma escola sustentável

Vida Saudável - Chirles Oliveira - 3 de abril de 2017

Por Regina Hostin*

Viagem de estudos

De Londres até Totnes, no sudoeste da Inglaterra, são mais ou menos 3 horas e meia de viagem de trem. Mas você nem sente o tempo passar. A paisagem é linda. Aos poucos o mar e o verde vão formando um novo cenário e você entra em contato com uma outra Inglaterra. A estação de Totnes é um charme. Pequenininha. E os taxistas, simpatíssimos. Já ali você começa a se sentir em casa. Continuar Lendo

Continuar Lendo

Cafés, pelando, mais café

Colunistas, Felicidade - Rodrigo Vieira - 12 de maio de 2016

Sentamo-nos defronte, depois de um leve cumprimento inicial que precede o blá-blá-blá. Não, não havia puxado a banqueta estilosa para ela, como um bom gentleman faria. Entretanto, sorri ao perguntar:

– O que vai querer?

– Um café – respondia a mim e à mocinha que já atendia sem eu notar.

– Dois – complementava antes de a fulana virar as costas.

Volta e meia estamos nessa, encontros esporádicos de semana, no qual alguém cita “Quanto tempo!”, na tentativa de recuperar o tempo ausente, e realmente perdido. Mas isso ameniza. Nessa cara social, falamos sobre trabalho, discorremos sobre clichês, tudo o que encabeça a ambiência daquele ponto movimentado. Certo que havia outros entre nós na mesma condição.

Bom, o café chegou. Açúcar ou adoçante. Ela quis o adoçante, como a cartilha elegante de uma dama prediz, eu esvaziei um sachê de açúcar na xícara bonitinha.

– Você se lembra de quando…?

– Ah, sim… Verdade.

Eram conversas vazias, bestas mesmo. Era um protocolo de dois entes crescidos na urbe. Enquanto isso, o café fumegava lá dentro, sozinho naquele recipiente. Já ouvira sobre as combinações míticas de um bom café, rimas com amor, proseadas com poesia. Juro que acreditei, ou somente queria sair daquilo.

– Não é verdade? – ela apontava com o dedo mindinho a mim.

– É sim… – retrucava ausente, sem nem saber o que ela falou.

… Divagava com aquele café, tragado a poucos goles. De repente falava alguns absurdos a ela, como declamar uma frase manjada de algum escritor famoso. Nisso tudo ela se fazia de estranha, mas envolvida. Até que seus cabelos começavam a ter graça, seu sorriso agora era enigma e ela a esfinge que mais tarde me devoraria. Parecia alcoolizado, era só café, e tudo tinha mais graça. Melhor seria se falássemos das tais combinações: Ah! O amor.

– O amor é fogo que arde sem se ver?

Em meu solilóquio era só mais um, um a mais. Apenas alegrava-me o fato de o café ainda estar quente, e até que ele ardia sem eu ver. Depois de outro gole perguntei sobre seus amores, e ela demonstrara tormento ao reler seus fracassos. “Linda desse jeito?”, tentava recobrar a estima. Pois é, não estava tão feliz nos amores (pena que ela não jogava), sugeri que se permitisse mais, no entanto a recusa era clara em seu olhar reprobatório.

Certamente que aceitaria uma tarde de amor, um café e um livro de poesias, jogado aberto a canto qualquer. Pegaríamos um violão, arranharia dois, três acordes, cantaríamos o refrão. Logo deitaria em meu colo, nós no tapete da sala, bebericando na mesma xícara, ouvindo o som do relógio – que sempre quer assustar. Acalentaria, faria ninar com cabelos despenteados, acordaríamos com a réstia do sol tramitando entre a cortina velha. E ela gentilmente ia à cozinha fazer outro café, até por que eu não sei.

Paradoxal como é, a vida não tomou esse rumo. Se ela soubesse como é bom, me inconformava com sua cara de nada, de vento, que já arrumava a bolsa com uma nota na mão.

– Tchau. Até mais.

Não tive tempo de responder, estava embalado por aquela fumacinha, que não existia mais no café frio. Outra, pude ver a marca de batom na borda. Restou-me rir, nem todo mundo fora feito para amores, poesias, cafés, uma música. Mais café. Nem todos sabem tomar café, poucos sabiam o que nele tinha. Iria perguntar para a mocinha, que viera retirar as xícaras, se ela me compreendia, mas deixei pra lá. Rimos os dois, sem saber motivo, desconfiei que ela soubesse do que estava falando. Eu pedi:

– Cafés, pelando, mais café.

Continuar Lendo

Babaganush: mais uma receita simples, saborosa e saudável

Vida Saudável - Chirles Oliveira - 3 de março de 2016

Baba ghanoush  é uma pasta de origem árabe feita de purê de berinjela  grelhada, tahine (pasta de gergelim) e suco de limão. O segredo está em assar a berinjela diretamente sobre a chama antes de descascar, por dentro fica macia e com um sabor defumado. A pele pode até ficar queimada, mas é só separar a polpa da pele e temperar a gosto.

Berinjela é um alimento de baixa caloria, com muitas fibras, vitaminas do tipo B, C, K e  minerais como Zinco, Potássio, Cálcio, Ferro e Magnésio. 100 gramas do seu consumo dá cerca de 30 calorias apenas, mas isso dependendo de como o prato é elaborado, claro, que não se aplica a berinjela à parmegiana.

Ela é rica em tripsina, que ajuda a restringir o metabolismo das células cancerígenas e auxilia na digestão por ser uma excelente fonte de fenóis. Por ser rica em bioflavonóides ajuda na prevenção de coágulos sanguíneos.

Estudos indicam que esse vegetal é bom para o coração, para o cérebro, para controlar a diabetes e para pele.

A receita é simples, rápida, saudável e deliciosa. Pode ser servida acompanhada de pão pita, como salada ou até como prato principal.

RECEITA BABAGANOUSH

Ingredientes

  • 2 Berinjelas
  • 3 colheres (sopa) de Tahine
  • Suco de 1 limão
  • 2 dentes de alho amassados
  • Sal a gosto
  • Salsa
    berinjela3

    foto do arquivo pessoal @cozinhadatata

    Modo de preparo

  • Depois de bem lavadas, leve as berinjelas direto no fogo, na chama do fogão, virando assim que a casca for queimando.Esse processo dá um gostinho de defumado e deixa o prato ainda mais gostoso.Tire do fogo e deixe esfriar um pouco. Corte ao meio e com uma faca raspe toda a polpa da berinjela. Leve essa polpa para uma tigela, acrescente o alho picadinho e misture bem até ficar homogêneo.Acrescente os outros ingredientes, como o Tahine, suco de limão e o sal e continue mexendo até a textura ficar bem homogênea. Sirva com azeite e salsinha por cima.

    Taisa

    Sou Taisa Schaeffer Andrade, formada em Educação Física, mãe de dois meninos, amante da boa culinária, curiosa e inspirada pelo que há de bom na vida!  Vocês podem me seguir no instagram  @cozinhadatata e no Facebook, estou sempre compartilhando receitas e informações.

Continuar Lendo

Algumas novidades do mercado orgânico e sustentável na 11ª Feira Internacional

Sustentabilidade - Chirles Oliveira - 11 de junho de 2015

 
Hoje tive uma experiência maravilhosa por causa do blog, pois há tempos não participava de um evento como jornalista ou assessora de imprensa e muito menos como veículo de comunicação. Divulgamos o blog para algumas marcas participantes  da Bio Brazil Fair / Biofach America Latina – 11º Feira internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia, que acontece de 10 a 13 de junho de 2015 no Pavilhão da Bienal do Ibirapuera, em São Paulo.
 
Foi impressionante ver a quantidade de estandes e marcas do mercado de orgânicos. Na verdade, são 122 expositores e centenas de opções como alimentos orgânicos in natura, congelados em geral, cosméticos, biojoias, confecções, acessórios, produtos pet, dentre outros. 
 
Claro que o mercado acompanha a tendência dos consumidores que buscam uma vida mais saudável, mais simples e natural, preocupados com o que vão deixar para seus filhos, ou mesmo para as futuras gerações.
 
Por isso é importante entender o que se ganha com a cultura da sustentabilidade, dos alimentos orgânicos, da agricultura familiar e local. Ganha o planeta pelo não uso de pesticidas e agrotóxicos e pela não contaminação dos nossos recursos naturais como água e solo. Ganha o produtor local que sobrevive financeiramente com sua família ou cooperativa, e ganha o consumidor que recebe produtos saudáveis à mesa, livres de venenos e toxinas no corpo.
 
Como veículo de comunicação, recebemos o press kit com material de divulgação e também com alguns lançamentos para experimentação, tornando possível conhecer novos produtos e perceber que ter uma alimentação saudável hoje em dia  ficou mais fácil com tantas opções no mercado. Agora vou conhecer o açúcar de coco, óleo de coco com limão da marca Copra, proteína concentrada de arroz integral germinado orgânico e ervilha amarela da Chocolife, zero glúten, lactose e açúcar, ideal para quem tem intolerância ou alergia a esse tipo de alimento.
 
Na verdade, conheci muitas pessoas interessantes e outras marcas que aos poucos vou relatando para vocês. Inclusive gravamos uma entrevista para nosso canal do YouTube falando sobre agricultura orgânica com o Sr. Eduardo da Associação Sítio Escola Portão Grande, aprendi muito com ele. Em breve o vídeo estará disponível.
 
Ter um estilo de vida saudável depende da nossa alimentação mais natural e menos processada, ou seja, menos industrializada. Depende também do modo como administramos nosso tempo para trabalhar, praticar alguma atividade física, dormir, ter um hobby, uma atividade voluntária e uma vida social com a família e os amigos.
 

 

Nossa primeira cobertura como veículo na feira de orgânicos. #feliz

 

Eu e a Soraia Zonta proprietária da Bioart trocando informações sobre nossas redes sociais

 

 

Embalagem super linda e criativa com instruções de uso na própria embalagem. (Foto Fernanda Kanasiro)

 

Foto by Marcelo Kanasiro
Continuar Lendo

Suco verde…Quero vida!

Vida Saudável - Chirles Oliveira - 1 de abril de 2015

“Fazer o suco é um exercício diário de dizer a você mesmo e ao planeta: “Quero vida” (Daniel Francisco de Assis, autor do livro Suco Vivo)

 

 

Sempre que publico as fotos do suco verde no Facebook percebo que as pessoas curtem essa opção saudável de começar o dia. Mas também pairam algumas dúvidas como: o suco deve ser coado ou não? qual é a melhor receita?  Preparo no liquidificador ou na centrífuga? Por isso prometi que o próximo texto seria sobre essa maravilhosa bebida DETOX. Vamos lá, pois fazer o suco verde não é complicado e basta ter em mãos (ou melhor, na geladeira) alguns ingredientes básicos. Claro, depois desse texto, você poderá se aventurar em suas próprias criações saborosas e nutritivas e levar essa energia vital todos os dias para seu organismo.
O suco verde tem um grande poder de desintoxicação e deve ser ingerido no desjejum ou nos intervalos das refeições (li que não é aconselhável à noite). Além de eliminar as toxinas, ele promove uma alta mineralização e alcalinização do corpo. Se bem, que segundo Daniel Assis, para otimizar esse processo de alcalinização rápida ele deve ser batido de preferência sem a fruta. Mas no meu caso, sempre acrescento uma fruta cítrica ou a maçã, mas também já me aventurei e alterei a receita inserindo o suco de uva integral e o resultado foi um suco adoçado de forma natural.
Há muitas receitas, mas eu sinceramente não gosto de ficar presa a elas. Acho importante saber como se faz o suco verde padrão e depois ir variando com o que tenho disponível no momento, pois o mais importante é bebê-lo diariamente, ajudando na ingestão diária dos líquidos para o bom funcionamento do nosso corpo.  Assim, podemos ingerir 1 litro e 1/2 de líquidos por dia variando entre água, chás, suco verde ou água de coco. Ah! Sempre naturais, de preferência!
O suco verde tem como base sucos de vegetais com frutas não doces. Você pode bater chuchu, pepino, aipo, abóbora, cenoura, etc. O segundo ingrediente básico são as folhas verdes e você pode utilizar couve manteiga, salsinha, espinafre, agrião, rúcula, hortelã, acelga, as folhas da beterraba e do salsão.
Eu costumo bater no liquidificador couve, salsinha, gengibre, maçã, limão (receita básica). Mas sempre faço variações. Já bati ora com abacaxi, ora com laranja, sem fruta alguma, com água de coco, com inhame, cenoura, pepino, já inseri açafrão da terra e spirulina (um pó a base de algas que é uma excelente fonte de proteína, aminoácidos, minerais e vitaminas). Eu comprei a spirulina em pó na zona cerealista no centro de São Paulo, mas também é vendida em lojas de produtos naturais.

Na receita de hoje bati: 3 folhas de couve, chá de capim santo (que sobrou da noite passada), 1 pedaço de gengibre, 1/2 inhame ou cará pequeno e suco de 1 limão. Não ficou doce, mas estava rico de nutrientes e excelente para minha vitalidade.

O detalhe importante é que o suco precisa ser coado, e sua função principal é a desintoxicação. Você pode bater no liquidificar ou numa centrífuga se for para muitas pessoas. Para peneirar, dá para usar uma peneira bem fina ou a famosa “panela furada”, que na verdade é uma peneira feita de tecido voil que permite que as microfibras passem na coagem.
Aos poucos, vamos percebendo que ao beber o suco verde ficamos mais dispostos fisicamente e com o sistema imunológico mais forte, pois estamos suprindo nosso organismo com ferro, minerais, os compostos fenólicos, a vitamina C, a vitamina E e o betacaroteno.

Sugiro a leitura do livro Suco Vivo, de Daniel Francisco de Assis, pois nele você encontrará muitas receitas e explicações sobre a importância desse suco tão vital e detonador das toxinas do nosso corpo.
Algumas dicas importantes que retirei do livro.

 

  1. Use sempre ingredientes frescos, locais, orgânicos (quando possível). Ingredientes congelados podem ser usados, mas não diariamente.
  2. Quanto mais rápido beber, depois de preparar, melhor, Quanto mais gostoso ficar o suco, melhor, pois faz querer beber mais vezes.
  3. O suco não deve ser armazenado, Leva 10 minutos para mudar de gosto e ficar amargo.
  4. Depois de tomar o suco, espero pelo menos 30 minutos até fazer a próxima refeição.
  5. Faça o suco com amor, tranquilidade e respeito, pois ele pode mudar sua vida.

 

Nunca viu uma panela furada? Olha ela aí!

Segue o endereço para quem quiser saber mais e adquiri-la  panela furada

Agora você pode baixar em PDF o livro Suco Vivo. Ou adquiri-lo nas livrarias da sua cidade ou via compra online. Suco Vivo na Saraiva
Saiba mais sobre seu ritmo metabólico nesse texto do Doce Limão

 Abraço Fraterno!
Continuar Lendo

Suco verde, sabor pela vida!

Vida Saudável - Chirles Oliveira - 19 de fevereiro de 2015

O suco verde de hoje foi bem especial. Ele não tinha ingredientes mágicos, mas me deu muita energia, afinal de contas ele tinha muita intenção e desejo de saúde! Bati no liquidificador maçã, salsa, coentro e spirulina (um pó à base de algas que dá essa cor verde intensa ao suco).

 sucoverde2
E não tomei de manhã cedinho. Tomei à tarde, quando retornei com muita gratidão do Espaço Natureza. Todas as quartas-feiras me dou de presente algumas horas de cuidado. Um mimo, um luxo necessário para equilibrar minhas energias neste mundo tão intenso de estímulos, de estresse, de emoções conflitantes.
Juro que estou na batalha para viver uma vida mais tranquila e saudável, mas morando em São Paulo, confesso que não é nada fácil. Por isso, estou buscando constantemente voltar-me para o que realmente importa para minha saúde e longevidade.
Entretanto, percebi que apesar de levar uma vida saudável com uma alimentação mais natural, tomando suco verde, bebendo água (nem sempre faço isso como deveria), fazendo caminhada, pilates e yoga nem sempre estou com a energia alinhada e em alta.
Por que será? Parece que estou fazendo tudo certinho e na hora H…tá sempre faltando!
É que o DETOX completo tem que ser por dentro e por fora. Precisamos cuidar de muitos detalhes sempre. Dá trabalho, é difícil, exige coragem, mas não é impossível! E vale muito a pena trilhar neste caminho de VIVER BEM!
O detox externo vem do que comemos, bebemos e praticamos de atividade física. Esse tripé é imprescindível, realmente essencial para quem quer ter saúde!
Mas não menos importante é o detox interno, aquele que devemos fazer todas as noites antes de dormir ou mesmo no meio do dia quando saímos do nosso eixo ao ficarmos preocupados, tristes, chateados, emburrados, desiludidos.
Nossas emoções são responsáveis por alterar nosso sistema nervoso e imunológico. Quando ficamos com raiva, jogamos toxinas no sangue que circulará por todo o corpo infectando nossos órgãos, músculos, juntas e desalinhando nossa energia vital.
Por isso, vamos nos lembrar de fazer diariamente um detox mental, lembrando dos acontecimentos sem dar uma importância maior do que a necessária. Sem levar para o outro dia as coisas que já são passadas e que não mudarão, mas que se ficarem guardadas como mágoas poderão afetar o futuro. Mágoa é sinônimo de doença. E eu bem sei o que é passar por isso.
Então, antes de dormir, proponho que façamos o detox mais importante, o detox interior com o propósito de viver o outro dia mais leve, mais livre e feliz!
Deixo aqui minha imensa gratidão pelos cuidados que recebi hoje com tanto zelo do Mestre Paulo (acumpulturista) e da Dona Marlene (reiki). Vocês foram dois anjos na minha tarde de quarta-feira de cinzas. Namastê!
Sai do Espaço Natureza mais leve, solta e cheia de energia boa e ao chegar em casa, tomei esse suco verde intenso e delicioso!

 

Abraço fraterno!
Continuar Lendo