Postagens sobre amor

Não mate leões, trabalhe com amor

Felicidade - Jared Amarante - 27 de janeiro de 2017

Toda relação deve ser boa o bastante para fazer as pessoas crescerem. E quando falamos da área profissional, ser bom não é o suficiente, porque pode nos tornar pessoas acomodadas. Por isso, então, é imprescindível sermos excelentes. Pois, desta forma, seremos capazes de enxergar nossos potenciais com visão de águia. Porque quem deseja alçar voos altos não pode se contentar em ter um bom relacionamento com o trabalho. Continuar Lendo

Continuar Lendo

Gratidão e esperança no que virá. Feliz 2017!

Felicidade - Chirles Oliveira - 27 de dezembro de 2016

O campo energético responde a atenção consciente. Quando aprendemos a melhorar nossas técnicas de observação para intencionalmente afetar nosso destino, estamos a caminho de viver uma vida melhor, por nos tornarmos nossa melhor versão

Numa breve retrospectiva de 2016, penso que ele foi desafiador para muita gente, inclusive para mim. Mas, ao mesmo tempo, ele permitiu o fechamento de um ciclo. Às vezes isso acontece de forma aparentemente dolorosa, ensinando pela dor de que precisamos mudar nossos padrões mentais e vibracionais e, consequentemente, nossas atitudes.

Mergulhar no que se é, no que se quer, nas sombras escondidas por anos a fio, para vislumbrar um ser com mais sentido, propósito, amor e conexão com a VIDA…requer coragem, pois é um grande desafio, mas sinto que esse foi meu aprendizado em 2016.

Sem tanta correira no cotidiano e em conexão com a natureza, pude aos poucos, mergulhar no meu eu para descobrir o que realmente faz sentido para mim. Ás vezes, não sabemos muito bem o que queremos, mas é tão bom saber o que não queremos, digo que é a metade do caminho para uma vida mais realizada, feliz e sustentável.

Não quero apenas acordar, sair para trabalhar com o único propósito de ganhar dinheiro para atender a minha dimensão material. Quero fazer as pazes com a prosperidade e a abundância trabalhando naquilo que faz sentido para mim.  Minha missão é comunicar com amor, partilhar o saber com alegria, ampliar a consciência do amor à Terra Viva, à Mãe-Natureza, mergulhar no sentir do corpo e da alma, alinhando minha missão material e espiritual.

Quero continuar trabalhando com Educação. Esse é o meu propósito de vida, essa é minha missão e o desejo da minha alma. Como sei disso? Descobri que geralmente essa consciência se revela quando somos crianças e respondemos aquela fatídica frase: “o que você quer ser quando crescer?” . E eu queria ser professora…eu tinha uma lousa verde, giz e amigos para ensinar… ah, e os livros sempre foram meus bons companheiros de viagem.

Mas, mesmo cumprindo meu propósito como professora nas universidades pelas quais passei, eu estava sentido um certo vazio, uma certa descrença no sistema atual, uma necessidade de fazer diferente.

E esse ano, com a experiência do Certificado em Ciências Holísticas e Economia para Transição, pela @escolachumacherbrasil, descobri que é possível unir ciência e experiência intuitiva, educação  e natureza, alegria e poesia, lado direito e esquerdo do cérebro, tudo isso  traduzindo uma educação transformadora que conecta várias dimensões do ser: física, mental, emocional e espiritual.

Pequenos gestos, grandes mudanças. O que você faz importa e impacta

Estamos em tempos de transição, de mudanças de paradigmas,  e acredito que muitos caminhos irão se abrir para que uma nova consciência possa se expressar no trabalho, nos relacionamentos, na vida social impulsionada pela compaixão e pelo coletivo. É tempo de solidariedade, de co-criação, de conectar com o coração e com pessoas que vibram nessa sintonia do amor e  da transformação para um mundo melhor.

Que venha 2017 com a potência do ano 1 da realização. Que venha a economia compartilhada, a inteligência coletiva, as boas parcerias, um novo caminhar com desafios e alegrias, mas com significado na construção de uma nova realidade.

Desejo que possamos nos sentir encaixados no mundo por ouvir e atender a inspiração da nossa criança interior, ou seja, da nossa alma. Todos nós viemos ao mundo para aprender, amar, perdoar, expandir, evoluir mas, acima de tudo, deixar nossa marca no palco da vida. A consciência do propósito, do que é o nosso Dharma, é a fonte do entusiasmo de acordar todas as manhãs com alegria e inteireza.

Assim, iniciamos 2017 com o desejo sincero de que nossos leitores vivam e trabalhem com propósito, sintam alegria e felicidade, cuidem de si com amor, cuidem do outro com compaixão e da natureza com paixão!

Namastê! Gratidão Infinita! Abraço Fraterno

FELIZ 2017!!!

Continuar Lendo

E quando não recebemos amor?

Colunistas, Felicidade - Jared Amarante - 23 de setembro de 2016

Não importa o quanto tenhamos amor por alguém se esta pessoa não nos quer. Não importa o quão extensos sejam nossos desejos se a pessoa “amada” não nos quer. Não importa o tamanho e a força das nossas esperanças se o outro não se importa. Sabe o que é? Não podemos forçar ninguém a ser como gostaríamos, né? E a pergunta ressoa: o que fazer quando não recebemos amor?

Essa é uma verdade cruel de aceitar, mas a vida não é assim? Nunca saberemos se um relacionamento vai dar certo ou não, por isso precisamos correr o risco. Mas até quando? Por toda a vida, eu diria. Até mesmo porque cada pessoa é diferente. Ou será que ter medo de sofrer e ficar paralisado é, também, uma forma de negar o amor?

Precisamos parar com tanta idealização, pois expectativa sem sabedoria pode ferir. Mas como viver sem expectativas? Calma, não se trata de deixar de viver ou se relacionar, e sim de ter passos mais lentos, compreendendo que cada um tem uma forma de ser, de sentir, de demonstrar. Por que, então, nos desesperamos tanto?

O amor verdadeiro, sinceramente, só existe na reciprocidade, porque o contrário disso é absolutamente desgastante e desumano. Por isso, saiba ter paciência em um relacionamento, mas não aceite tudo. Saiba agradar, mas espere receber o mesmo, ou alguma coisa está errada. Saiba reconhecer as qualidades, sem ter que apontar os defeitos do outro em todas as brigas. Saiba ir embora se for necessário. O amor não existe nas migalhas.

Não se deve insistir quando o outro não quer. Não se trata de ser fraco, mas de ter amor-próprio. Olhe bem as coisas e você perceberá que quando alguém quer ir embora, esse, aos poucos, vai deixando de ligar, de perguntar do seu dia, de dizer que está com saudade, de demonstrar, até que um vazio se instala.

E aí você começa, depois de muitas tentativas, a cansar e decide ir embora, pois não aguenta sofrer por alguém que não tem olhos voltados para você, seus sonhos e sua vida. Desta forma, só se pode entender que o amor mais lindo é aquele retribuído, ou não fará bem.

Continuar Lendo

Quanto amor e respeito nós temos pela Terra?

Sustentabilidade - Chirles Oliveira - 6 de setembro de 2016

Nosso planeta azul, nossa Mãe-Terra existe há 4, 5 bilhões de anos. Dá para imaginar o quanto de tempo isso significa? Já parou para pensar quanto amor e respeito nós temos pela Terra? Continuar Lendo

Continuar Lendo

O AMOR SEMPRE CHEGA

Colunistas, Felicidade - Jared Amarante - 12 de agosto de 2016

Você sabe que nada está realmente perdido, não é mesmo? Você sabe que nenhuma dor machuca demais a ponto de nunca ser remediada, né? Você sabe que por mais saudade que sintamos, ainda assim, não morremos, correto? Você sabe que mesmo tendo sido “deixado”, nem todas as pessoas farão o mesmo, tudo bem? Você aprende que tudo nessa vida passa, entende? Você começa a aceitar que antes de amar alguém deve amar a si, ok? Você, então, concorda que muitos lhe machucaram, mas um dia chegará àquela pessoa que não fara isso, beleza? O amor sempre chega…

E é com tantas interrogações, porque a vida é feita de mais perguntas do que respostas, que as coisas vão fazendo sentido em nosso dia a dia. Já reparou nisso?

Um dia chegará àquela pessoa que vai desejar estar ao seu lado em silêncio, e mesmo assim terão bons momentos juntos. Que vai te ligar a qualquer horário só para dizer que estava pensando em você, sem cobranças e excesso de carência. Que terá todo cuidado do mundo ao proferir uma palavra, porque não quer magoar seu cansado coração. Mas essa será uma pessoa também com defeitos, mas disposta a dar o melhor para o relacionamento. Isso já faz uma grande diferença!

Essa mesma pessoa, quando chegar, estará animada para sair na chuva e te encontrar. Não se importará em ter apenas dez reais para tomar uma casquinha, pois o que importa é a companhia. Que sentirá prazer e calmaria quando os corpos se encontrarem, o que apenas ajudará a aquecer o coração e a alma, já que a caminhada a dois nunca será fácil, porém sempre será incrível e repleta de aprendizado. Porque há mais dos outros em nós do que podemos imaginar.

Será esse um ser humano que conhecerá seus pontos fracos e fortes, mas nunca irá usá-los para lhe punir ou menosprezar-te. E quando você estiver bem, ou não, lhe dará a mão para que acredite no seu potencial e volte a realizar sonhos. Juntos vocês aprenderão mais sobre o amor e a lealdade, seja tolerando o atraso, o estresse, as diferenças. Esse alguém fará você se renovar, e vice e versa.

No meio de tanta confusão, esse mesmo alguém, vai te acalmar e olhar nos olhos e dizer que não quer ir embora, mas que aceita suportar a tempestade ao seu lado. E quando isso acontecer você descobrirá que diante de uma soma de desilusões sempre será possível crer no amor de outro coração. Nós nascemos para amar.

Sendo assim, alguém ainda vai te desejar quando lhe ver com o cabelo despenteado e as cutículas mal feitas. Alguém vai despertar o seu melhor apenas com um olhar e meia dúzia de palavras encorajadoras. Alguém que vai querer, todo dia, conhecer um pouco mais das suas opiniões sobre a vida. Alguém que vai te olhar por dentro e jamais pedir que você mude, mas que seja o seu melhor, e assim terá o melhor do outro. Porque o amor é simplesmente um verbo: CUIDAR.

 

Continuar Lendo

Por que você perde tanto tempo?

Colunistas - Jared Amarante - 15 de julho de 2016

Imagem do Pixabay Imagem do Pixabay

Você não pode achar que a vida é fácil e que todas as pessoas farão o que seu coração acredita ser o certo e justo, tão pouco deve enlouquecer com a ideia de que cairão presentes do céu para transformar o seu dia. Sabe o que a gente tem que fazer? Se permitir ser gente. Gente que cai e levanta. Gente que para e recomeça. Gente que cansa, mas não desiste. Gente que espera mais de si do que dos outros. Gente que não perde tempo.

Aprecie cada momento e mergulhe em sua alma, só assim poderá perceber se vale a pena investir suas energias em um projeto ou relacionamento, lembrando que cada escolha tem uma consequência. Tudo que é feito com extrema dedicação, em algum momento, retornará como beneficio. Não estamos falando de milagres, mas de ação e reação, e essa é a lei mais forte e real que permeia o universo. Universo esse que fazemos e somos parte.

Você acredita nisso?

É importante amarmos e termos zelo por aqueles que nos cercam, mas sem confundir as coisas, isto é, cada pessoa é livre e deve escolher aquilo que considera melhor para sua vida, ainda que não concordemos. Afinal, bonito é aconselhar, não determinar. Bonito é amar, sem possuir. Bonito é deixar livre e esperar que volte, mas se não retornar, que você continue feliz, porque bonito é amar, mas lindo é sentir que tudo é recíproco. O contrário disso não é tão belo.

Não perca seu tempo se doando mais do que é capaz, porque há pessoas que, por carência excessiva e medo, irão lhe responsabilizar, a cada situação, por fazê-las feliz. Isso, certamente, é tão absurdo quanto acreditar que você realmente tem a obrigação de dar para alguém o que deve existir dentro de cada ser. Perceba que todo mundo só oferta o que tem, e é assim que a vida permanece em harmonia.

Amar não é aceitar tudo.

Siga sempre incansável em busca de seus sonhos. Lembre-se que o tempo cura tudo, mas também pode mudar tudo. As coisas que voltam, se voltam, nunca retornam como antes, mas podem vir melhores, ou não. Contudo, compreender que o tempo é algo que nunca teremos na quantidade que gostaríamos, nos faz viver como disse Albert Einstein: Só há duas maneiras de viver a vida: a primeira é vivê-la como se os milagres não existissem. A segunda é vivê-la como se tudo fosse milagre.

O que você escolhe?

 

Continuar Lendo

Para o meu grande e novo amor

Colunistas - Jared Amarante - 8 de julho de 2016

Já pensou em como será a próxima pessoa que fará seu coração disparar mais rápido? Será que ela gostará dos mesmos filmes? Será que irão olhar as estrelas e contá-las como um casal verdadeiramente apaixonado? Ou será que vão, por imaturidade e medo, repetir os mesmos erros de relações anteriores? Antes de responderem essas perguntas, compreendam que pessoas inteiras vivem as melhores experiências a dois, ou seja, não espere do outro o que já deve existir em você: amor.

A realidade de um relacionamento pode parecer muito complexa, mas podemos torná-la simples se aceitarmos que cada um tem um jeito de ser, e que todos, em algum momento, já acordamos de mau humor, mas isso não pode estragar nosso dia. Em algum momento já nos recusamos a fazer isso ou aquilo, mas ainda assim não se pode permitir com que detalhes destruam a beleza dos sentimentos. É preciso mais paciência do que qualquer outro dom para se conviver com outra pessoa, lembrando sempre que você pode estar magoado, mas não tem que ser cruel.

A vida sempre foi feita de mudanças, e estas podem ser pessoais, profissionais e financeiras. Por isso, ao nos envolvermos, precisamos estar atentos a esses percalços, pois para ser feliz ninguém precisa ser rico, mas a falta de dinheiro, sem dúvidas, desgasta sentimentos, trazendo sensação de impotência e desestrutura familiar. Sendo assim, talvez nosso grande amor não precise ser milionário, mas no mínimo terá que ter uma fé impagável. Isso, aliado a atitudes corajosas, será suficiente.

Um relacionamento onde a preocupação é quem está certo ou errado, com certeza, pode naufragar, porque o bonito, saudável e justo é admirar as qualidades e anseios do parceiro, vendo-o como um ser humano passível de quedas e vitórias. O amor é generoso, mas não aceita tudo, e se aceita, há insegurança, medo e posse, menos amor. Então, que o nosso grande amor, novo e até velho, se preocupe em dialogar, porque isso poderá curar muitas coisas.

Querer sentir e achar que nunca vai se magoar é ilusão. Mas deixar de arriscar, de repente, é uma forma de negar o amor, ou não. A questão toda é saber a hora de ir e ficar. O amor não existe na pressa. Portanto, se ame muito para reconhecer a hora em que seu grande amor chegará. Mas, por favor, quando chegar, lembre-se do que disse Clarice Lispector: Ou toca, ou não toca.

Continuar Lendo

A vida nos manda seguir…

Colunistas - Jared Amarante - 1 de julho de 2016

Imagem do Pixabay Imagem do Pixabay

Quantos de nós compreendemos o que fazer diante da vida que nos foi dada? Essa talvez seja uma grande pergunta, mas com bastante dificuldade para ser respondida. Contudo, é inevitável que, cedo ou tarde, tenhamos a consciência de que bem ou mal, devemos continuar vivendo, reconhecendo que somos nós os responsáveis por lamentar ou se levantar.

Apesar do tamanho da saudade, apesar do quanto gostaríamos de mudar o outro, apesar de quantas coisas ainda nos faltam, apesar de ter que acordar cedo e já se sentir cansado, apesar da solidão de mãos dadas, apesar das contas altas, apesar da vontade de amar e não ser correspondido, apesar dessas e de tantas outras coisas, a vida só nos pede que continuemos andando.

Somos sujeitos nessa existência a amar e desamar, perder parentes e reconquistá-los, cair e levantar, enxugar as lágrimas e trocar de sonhos, despedaçar corações e termos o nosso partido, amar e não ser correspondido, desistir e recomeçar, esperar e cansar, entre tantas outras coisas que, simplesmente, chegam como lições de uma frágil vida a nós apresentada.

Então, que sejamos bem vindos, mas sem esperar que tudo seja um mar de rosas.

Não podemos achar que tudo irá bem sempre, mas podemos, sempre, estar dispostos a mudar as circunstâncias, por meio de uma fé que nos faz inabaláveis, entendendo que não há vitoriosos e perdedores, e sim pessoas que lutam e pessoas que desistem.

Quantas vezes você já refletiu sobre isso?

A vida pode parecer um grande mar de desorientação e incertezas, mas devemos enxergá-la como uma oportunidade milagrosa, e assim celebrarmos vitórias, amarmos enquanto temos por perto, realizarmos sonhos, sermos gratos e, a cada dia, não se comparar aos outros.

Temos que aceitar nossas emoções e entendê-las, acreditando que nada é eterno, por mais que gostaríamos que fosse. Por isso, temos o agora para sonhar, ouvir novas músicas, servir ao próximo e sentir amor sem esperar nada em troca, por mais que pareça justo e belo ser retribuído.

E assim, vivendo um dia de cada vez, ao final, perceberá que seu grande medo nunca foi envelhecer, e sim envelhecer cheio de arrependimentos.

Continuar Lendo

Desculpa, mas não sei o que é o amor

Colunistas - Jared Amarante - 24 de junho de 2016

imagem do Pixabay imagem do Pixabay

Essa é uma existência cheia de altos e baixos. Entendidos e mal-entendidos. Encontros e desencontros. Mas e quando é necessário pedir perdão para si mesmo e seguir em frente? Quando é necessário reconhecer que não sabemos de tudo? Quando é imprescindível aceitar que o amor – o mais lindo sentimento -, nem sempre é tão justo?

Sim, é isso mesmo. Quem nunca refletiu sobre isso? Às vezes acho que o amor é aquele primeiro olhar apaixonado na adolescência. Aquele gole de coca gelado quando você está desesperado de sede. Aquela roupa dos seus sonhos. Aqueles maravilhosos elogios que te completam por cinco minutos.

Mas o tempo vai passando e você vai percebendo que o amor pode ser muita coisa, ou nada. Só sei que ele é injusto, ou justo demais. Contudo, talvez a questão toda não tenha a ver com a nobreza desse sentimento, e sim com a atitude das pessoas quando pensam que amam.

Talvez estar apaixonado seja um tipo de amor. Talvez gostar seja um tipo de amor. Talvez sentir atração seja um tipo de amor. Talvez tudo isso seja uma ilusão, ou não. Talvez o amor seja a convivência. Talvez o amor seja passageiro. Talvez o amor seja o eterno enquanto dure. Talvez o amor já não esteja em todos os corações.

O verdadeiro processo para conhecer o amor, de repente, começa dentro de nós. Será?

Cada indivíduo deveria dar asas à imaginação. Ampliar conhecimentos. Trocar as roupas do armário. Colorir os cabelos. Andar descalço na rua. Tomar banho de chuva. Desistir de um curso para fazer outro que sente mais prazer. Já pensou se não são, todas essas coisas, que lhe farão conhecer o amor?

Nunca devemos confundir carência com amor, até mesmo porque isso pode se tornar uma doença, e as pessoas não são obrigadas a corresponder nossos sentimentos e expectativas. Não se agarre a primeira coisa que você vê pelo caminho, pois isso lhe fará continuar sem conhecer o amor.

Não tenha pressa para amar e ser amado, mas tenha urgência para se conhecer. Se encontrar. Se conectar com sua verdadeira essência. Então, vá ser feliz com você mesmo. Por que não?

O amor pode demorar a acontecer, mas ele um dia chegará, até lá, por favor, queira se amar muito mais. Não dependa do outro. Queira alguém que some, ao invés de se desgastar com uma pessoa que arranca suas esperanças.

Jamais se esqueça de que ser corajoso implica muitas coisas, inclusive amar.

É uma escolha de cada um.

Por isso, me desculpe se eu não sei amar.

Você sabe?

Continuar Lendo

Acorde e vista-se para brilhar

Colunistas, Felicidade - Jared Amarante - 6 de maio de 2016

Dizem que nascemos com um buraco no peito e buscaremos preenchê-lo de alguma forma e com algumas coisas: seja um amor, um presente caro, uma droga, umas desculpas, alguns medos,  algumas pessoas, dinheiro ou, até mesmo, com a triste ideia de que não somos bons o suficiente como o espelho mostra.

Será que não estamos nos preenchendo de vitimismo? Porque é sempre mais fácil desistir do sonho do que lutar por ele. É sempre mais fácil discutir com o seu grande amor, abrir a porta e ir procurar outro amor na próxima esquina. É mais fácil ganhar pouco, se matar de trabalhar, a ter que se desdobrar em mil para viver um sonho que, futuramente, lhe trará felicidade ao acordar e dormir. É mais fácil se contentar do que transformar.

Vemos na história exemplos geniais de pessoas que não tinham o que comer e depois desfrutavam de banquetes. Mas essa é a história destas pessoas, que pode ser um exemplo incentivador, porém a sua vida tem outras circunstâncias que só você pode mudar. No entanto, qual é o tamanho da sua disposição para isso?

Por que você se deixa perder diante do melhor que pode ser? Já se perguntou isso? A verdade, nem sempre será fácil de ser encarada, mas é necessário perceber que estamos, dia a dia, lutando contra a sutil e maquiavélica publicidade que nos mostra, incansavelmente, que nossos olhos estão feios e caídos, que nossas bocas precisam de um preenchimento, que nossas medidas não são as das princesas, que nós não somos bons o suficiente para essa sociedade.

Mas até quando aceitaremos que digam isso? Calma, não confundam vaidade com a insana busca proposta pelos comerciais. Sim, mais calma ainda, porque você precisa se preocupar com o tanto que sua alma tem sido afetada com esse bombardeio de informações. Use isso, passe aquilo, emagreça em duas semanas, se vista assim… Ah, que pena estarmos mais preocupados com o exterior.

Será que este é o drama que somos? O drama de sermos incompletos? Mas o que é realmente preciso ter para sentir-se completo? Para esse mundo capitalista, nada. Porque a ideia é: quanto mais se tem, mais você precisa. No entanto, que sejamos mais acumuladores de tesouros impagáveis como: o abraço na hora do choro, a atenção na hora do desespero, o consolo no momento do grito, o amor na hora da fé enfraquecida. Ao invés de sermos acumuladores de tudo aquilo que a alma não pode sentir.

Por favor, sejam diferentes e vistam-se para brilhar como são, ou seja, não se tornem artificiais e moldados pelo sistema, porque o mundo já está cheio de pessoas assim e, sinceramente, ficou tudo tão chato que concordo plenamente com Renato Russo: o mundo está ao contrário e ninguém reparou.

Continuar Lendo