Postagens sobre amizade

Uma vida feliz é construída com boas relações

Felicidade - Chirles Oliveira - 28 de junho de 2018

Depois que comecei o blog Felicidade Sustentável, parece que a felicidade resolveu inundar a minha vida. Que coisa boa, não é mesmo?! Mas, deixa eu explicar melhor …para onde olho me deparo com o tema Felicidade…são livros, projetos independentes, comunidades no Facebook, contas no Instagram, famosos como é o caso da Bruna Lombardi que está lançando o portal Rede Felicidade, ou seja, parece que o mundo vive intensamente essa busca pela tão sonhada felicidade.
Continuar Lendo

Continuar Lendo

Quando a amizade é verdadeira?

Felicidade - Chirles Oliveira - 26 de maio de 2017

Ao longo da vida encontramos pessoas que passam por nós por um instante, uma breve experiência, uma caminhada ou uma jornada. Por essas diferentes situações, o que torna uma amizade verdadeira?

Muitas pessoas tem a oportunidade de cultivar amigos desde a infância, os amigos de longa data; outras conseguem viver intensamente uma amizade pelo período de trabalho, de férias, de um retiro, pois algo é construído ali. Talvez sejam reencontros!

Na verdade, há muitas situações de encontros, sintonias, sincronicidades, e nenhuma fórmula ou explicação para os laços afetivos tecidos numa relação de amizade verdadeira.

E o que é amizade para você? É longevidade ou intensidade?

Muitas vezes, queremos uma vida permanente onde tudo é estável. Mas a vida e os grandes sábios tem nos mostrado exatamente o contrário, que crescemos quando mudamos. Quando permitimos dar um passo, depois outro, numa caminhada que precisa de fé, coragem, dedicação, e encontros, sejam eles um pouco mais duradouros, ou não.

Para mim, amizade é a capacidade de estar junto, de viver alegrias e tristezas, de celebrar a vida, de trocar experiências, de partilhar sentimentos e segredos, de acolhimento, de doação sincera do tempo, da capacidade de gerar e viver o amor fraternal. Dizem que a versão do amor mais desinteresseiro é a amizade. E acredito que seja realmente.

Quando amamos um amigo, queremos que ele fique bem, que ele conquiste seus sonhos e que na hora das dificuldades encontre um ombro amigo para desabafar. E mesmo que ele esteja distante, que ele faça uma caminhada solo, torcemos para que ele seja feliz!

Nem sempre poderemos estar juntos, de mãos dadas, pois os caminhos podem fluir para diferentes direções, e tudo bem, pois isso, necessariamente, não significa separação. É simplesmente o tempo das coisas.

O tempo nos faz seguir em frente e nessa jornada nos faz chegar e partir. Quantas vezes chegamos na vida de alguém e pensamos em ficar ali para sempre? Você lembra da sua primeira amiga do jardim ou do prezinho? E os amigos do colegial, da faculdade, do primeiro emprego, dos projetos sociais que você participou, dos cursos e imersões que realizou…onde estão todos eles?

Com certeza todos tem um lugar guardado em nossos corações. Todos deixaram algo em nós e levaram algo de nós também. E se deixaram um pouco de amor e levaram uma pitada de alegria, companheirismo, risadas, compreensão, então essa caminhada super valeu a pena.

No fim, tudo o que construímos baseado no amor e no afeto perdurará mesmo à distância. A impermanência da existência é que ditará as horas das chegadas e das partidas, as horas dos encontros e das despedidas. E assim, vamos tecendo uma teia da vida cheia de pontos, e que em cada ponto haja um enlace verdadeiro de amizade, de gentilezas, de atenção  e de conexões amorosas.

No mais, deixa a vida fluir como um rio livre até ele encontrar o vasto oceano de possibilidades.

Abraços Fraternos!

 

Continuar Lendo

O caminho do despertar…aos poucos e sempre!

Vida Saudável - Chirles Oliveira - 24 de novembro de 2016

No dia 9 de novembro passado escrevi esse texto e publiquei na minha página pessoal do Facebook sobre meu aprendizado nos últimos tempos. Sobre o caminho do meu despertar…que foi aos poucos, mas contínuo! E continuo nessa jornada! Continuar Lendo

Continuar Lendo

Por que você quer mudar o outro?

Colunistas, Felicidade - Jared Amarante - 17 de junho de 2016

Nessa vida há muitas coisas que nos faz sentir que somos inúteis. Mas a maior delas é a tentativa de tentar muda o outro, ou seja, de fazê-lo tornar-se o que achamos ser o certo. Ajudar alguém a ser melhor é uma coisa, querer moldá-lo como esperamos é algo muito ruim.

Ninguém quer abandonar quem ama na primeira tentativa, mas também não dá para ficar a vida toda insistindo, orientando e pedindo que a pessoa entre por outro caminho. Na verdade, nossa sede de mudar o outro é tão grande que apelamos para os psiquiatras, médicos, pastores e até mesmo Deus.

E quando isso acontece, nos frustramos por ver que as pessoas apenas oferecem o que podem e são. Os seres humanos, todos os dias, são influenciados por milhares de fatores externos, e eles tomarão como verdade para si aquilo que for mais conveniente, mesmo que você o ajude e explique um novo caminho milhões de vezes.

Ainda nessa questão, é imprescindível aceitar que às vezes estamos tentando mudar o outro porque gostaríamos de ver nele algo que não tivemos coragem de ver em nós. Isso é culpa e não amor! Será que não queremos mudar o outro por não conseguir mudar a nós mesmos?

Ninguém quer desistir de ninguém, mas e quando insistir é uma perda de paz e energia?

O que podemos fazer é, por meio de palavras e atitudes, lançar uma luz na vida de quem nutrimos afeto, mas nunca segurar em sua mão e obrigá-lo a percorrer esse ou aquele caminho.

Outra coisa muito importante é entendermos que cada um tem um tempo para amadurecer, e às vezes machucamos as pessoas querendo que elas sejam o que ainda não estão preparadas para ser. Isso não é amor, e sim egoísmo!

Lembre-se que o sol nasce para todos, mas alguns demoram a reconhecê-lo. No entanto, às vezes queremos fazer pelas pessoas coisas que elas não nos pediram. E aí depois o coração quer um acerto de contas.

Desta forma, caminhe para ser o melhor que pode para alguém, sem achar que você detém toda a sabedoria, seja porque é pai, mãe, doutor em psicanálise, servo de Deus, etc…

Entenda: cada um tem o seu limite. E você não deve ultrapassar os seus para mudar ninguém. Mas se preocupe em mudar você e em ser melhor. Melhor que ontem, hoje e amanhã.

Continuar Lendo

O que podemos fazer para sermos mais felizes?

Felicidade - Chirles Oliveira - 20 de março de 2016

Via Fronteiras.com

paulboom

Paul Bloom, psicólogo canadense, Professor de Yale

Existem coisas mais importantes do que ser feliz. Todos querem ser felizes, mas prefiro ser bom a ser feliz. Acho melhor ajudar pessoas, mesmo que isso não me faça feliz, do que ser um babaca egoísta feliz. Estamos obcecados demais, norte-americanos têm essa reputação de serem obcecados com a felicidade.” – Paul Bloom, psicólogo canadense, conferencista do Fronteiras do Pensamento 2014.

O que podemos fazer para sermos mais felizes? A revista The Atlantic reuniu uma seleção de breves entrevistas com professores, jornalistas e psicólogos com diferentes opiniões sobre o tema da felicidade. Dentre as respostas, diminuir o ritmo do cotidiano, criar mais tempo livre, investir em relações mais significativas, etc.

Assista ao vídeo e conheça algumas das falas. A opinião de Paul Bloom, Professor de Yale, já foi colocada no início desta notícia. Confira as outras a seguir. Ainda, acrescentamos uma pequena lista de vídeos do Fronteiras.com sobre o tema da felicidade. Pascal Bruckner, Edgar Morin e Zygmunt Bauman refletem sobre a questão a partir de diferentes ângulos. Com qual você mais se identifica?

Tim Kasser, Professor de Psicologia na Universidade de Toronto (Knox College): “As pessoas mais felizes que conheci são aquelas que tinham empregos significativos, boas relações, que contribuíam para o mundo com alguma ação, mas que não precisavam ser sempre felizes.”

Suleika Jaouad, jornalista: “O que podemos fazer para sermos mais felizes é diminuir o ritmo. Vivemos em um mundo tão acelerado, que é tão cheio de coisas empolgantes acontecendo o tempo todo. Mas, creio que o grande desafio é não fazer todas estas coisas e realmente criar momentos em nossos dias para que façamos nada ou momentos em que sentaremos com nossos amigos ou leremos um livro. Ter tempo para si mesmo.”

Eli Finkel, Professor de Psicologia na Universidade Northwestern: “Tentar esperar o melhor dos outros. Sim, algumas pessoas vão lhe explorar e você vai se tornar vulnerável ao ser gentil, mas esta vulnerabilidade também lhe dá a oportunidade de ter conexões sociais mais próximas que, é claro, são a melhor receita que conheço para ser feliz.”

Jennifer Senior, jornalista: “Uma das coisas que podemos fazer é parar de sermos tão preocupados com a felicidade. Creio que existe uma tirania na ideia de sermos felizes. Não que seja uma busca inútil, mas não é algo que você busque. Você a abraça quando ela aparece na sua porta sem um grande motivo ou você espera que venha acompanhada de alguma grande conquista sua.”

 

Texto compartilhado em parceria com o site Nowmastê

FELICIDADE no Fronteiras.com:

Pascal Bruckner – Não podemos fabricar a felicidade

Edgar Morin – A poesia da vida

Alain de Botton – O problema do otimismo

Enrique Peñalosa – Da sobrevivência à felicidade

Zygmunt Bauman – Sócrates e a felicidade

Continuar Lendo

Calma, ninguém morre de amor

Colunistas, Felicidade - Jared Amarante - 11 de março de 2016

Quantas pessoas já foram embora de nossa vida? Quantos amores achamos que seria para sempre? Quantos relacionamentos deixaram um gostinho de quero mais ou um grande arrependimento? Todas essas perguntas são capazes de nos anestesiar quando estamos sofrendo por alguém, sim, pois sofrer por amor não existe. Afinal, o amor liberta ao invés de aprisionar, e só alguém preso sofre.

Mas sofrer também tem que ser um passo aceito em nossa trajetória evolutiva. Vocês compreendem o por quê? Porque não podemos sair de uma dor sem que ela, antes, nos ensine algo. Não há varinha mágica ou merthiolate que cure um coração que não aceita que ninguém morre de saudade e amor, e que a aquele ou aquela pessoa que um dia tanto amamos não era a única no mundo.

Todo sofrimento ou perda gera um estado de luto e melancolia, e tais sensações devem ser experimentadas sem desespero, pois assim conseguimos absorver duas grandes verdades: as pessoas não são nossas e nem somos delas. Estamos todos, dia a dia, no trabalho, na família, na escola, nos emprestando uns para os outros.

Não ignore a dor de um rompimento, mas também não se afogue nela. Você não precisa correr para os braços do primeiro que encontrar. Você não precisa cair na primeira cantada que te derem quando souber que você terminou uma relação. Você não é obrigado a sair sorrindo para todos e mentindo sua dor.

Seja você e se conheça no seu silêncio, só assim pode se fortalecer e, quem sabe, mais pra frente, entrar inteiro em um novo relacionamento, ou, até mesmo, continuar inteira (o) e solteira (o). Qual o problema?

A felicidade sustentável pode vir através da solidão. Sim, aqueles momentos de quietude que se fazem tão necessários quando terminamos um relacionamento. Porque é por meio da calmaria que você se torna capaz de se conectar melhor com seus desejos. Desejos muitas vezes esquecidos e ignorados pelo excesso de responsabilidade exigidas num relacionamento a dois. Já pensou sobre isso?

O que existe para uma dor se curar é um pouco mais de paciência para com seu coração, ou seja, só o tempo transforma tudo, fazendo-nos entender que um período sozinho é uma oportunidade de autoconhecimento, e às vezes isso é tudo que você precisa para hoje.

Continuar Lendo

Seja amigo do seu amor

Colunistas, Felicidade - Jared Amarante - 22 de janeiro de 2016

É importante entendermos que o amor não sobreviverá se antes não formos amigos daqueles que escolhemos para estar ao nosso lado. Então, seja amigo do seu amor. Justamente porque ninguém quer acordar e dormir com um inimigo, correto? Mas será que nosso parceiro (a) é realmente o amigo e cúmplice que gostaríamos? E o que podemos fazer para melhorar isso?

Precisamos, com toda urgência sentimental, avaliar quem somos e quem queremos ter quando nos colocamos à disposição de um relacionamento. Mas, para tal envolvimento ser saudável, vale alguns itens de reflexão.
  •  Estar casado ou namorando não quer dizer que somos donos do outro
  • Namorar não será bom se apenas um tiver tempo para atividades a dois
  • Beijar e fazer carinho não deve ser uma obrigação
  • Construir um relacionamento não quer dizer fazer caridade para corações solitários
  • Se alguém for gentil demais, não considere isso algo para escolher seu grande amor

 

Todos esses tópicos são muito realistas, e por isso, farão toda a diferença se forem observados pelos olhos do coração, isto é, seja para a outra pessoa o que você espera que ela seja para você.
O fato de alguém um dia ter lhe tratado muito bem não quer dizer que você deve casar com essa pessoa. Não aceite ser a cereja do bolo de nenhum homem, e vice-versa, pois há pessoas que se aproveitam do outro até estarem satisfeitas e realizarem seus desejos, abandonando a relação assim que seus caprichos estão prontos. Isso não pode ser amor!
Sim, é importante reclamar do que não está sendo bom para um dos dois, porque se você vive um relacionamento em que o silêncio é sempre o melhor remédio, saiba que você está sendo escrava de seus medos, e o amor não permiti isso.
O amor liberta. Os melhores relacionamentos são aqueles em que os dois dizem eu te amo, seja na hora das lágrimas ou na hora dos sorrisos, caso contrário, vocês estão experimentando tudo, menos o que chamamos de amor.
A partir de hoje, em seus envolvimentos, promete que buscará ser amigo (a) de seu companheiro? Saiba que isso fará a relação crescer com mais entusiasmo, pois é muito especial quando os gostos e desejos estão sintonizados.

 

Por isso, lembre-se de que aceitar viver com alguém só por que ele ou ela é bonzinho, bonito ou rico, pode ser a maneira mais frustrante de perceber que você é um medroso (a), e medrosos perdem o melhor da vida a dois. E o melhor da vida a dois sempre serão duas pessoas de mãos dadas que desejam fazer o que Nando Reis disse:
 

Meu amor não será passageiro… Te amarei de janeiro a janeiro.

 


Obs.: imagem by pixabay

Continuar Lendo

Caminhando e espalhando a Felicidade Sustentável!

Felicidade - Chirles Oliveira - 2 de dezembro de 2015

Um dia, caminhando, pensei em escrever sobre as coisas que acredito, que me inspiram, que me impulsionam e me fazem mais feliz. Passei a compartilhar um pouco da minha história, do que tinha aprendido na minha trajetória, por meio de várias leituras e da minha vivência.

Quando acolhi meu propósito de vida, minha intuição, e atendi o chamado do meu coração, passei a me conectar com pessoas incríveis e observar que existe um movimento, um campo positivo e vibracional crescendo por meio das boas conexões. O mundo está se conectando em outra frequência! Muitas mudanças estão acontecendo, algumas serão duras, promoverão limpezas, mas outras, serão na conexão do amor, da gentileza, da compaixão e da solidariedade.
E como num fluxo onde tudo se encaixa e dá certo, em pouco tempo, já não era eu, não estava só, não era meu, era nosso blog Felicidade Sustentável. Sou imensamente grata aos amigos queridos Gui Barreto, Paula Lima, Luciana Murakami, Taisa Andrade, Sandra Almeida, que aceitaram ser colunistas e que produzem o belo conteúdo que alimenta nossa comunidade, nosso espaço. Juntos, com o objetivo de promover reflexões, compartilhar informações, dialogar, gerar trocas, expressar o amor por meio das palavras, estamos inspirando leitores do Brasil e também de outros países…
 E eu que pensava em apenas compartilhar textos por meio do blog, me vi no desafio de administrar uma fanpage linda para divulgar os textos e muitas frases inspiradoras, bem como compartilhar conteúdos relevantes de outros blogs, sites e fanpages que tenham a mesma good vibe  do Felicidade Sustentável.
Depois surgiu o instagram @felicidade_sustentavel e nosso canal no Youtube com entrevistas incríveis como a da Monja Coen, do prof. Marcos Rojo, do Luc Bouveret do @New Ways, da Isadora Caporali do @sublimesrituais, da Renata Stanisci e muitas outras que virão!
Assim, contamos boas histórias e compartilhamos os bons pensamentos, a sabedoria em forma de palavras e atitudes, sem sectarismo religioso, apenas vivenciando o amor e a conexão com nosso eu essencial e com a felicidade!
Para mim, esse projeto que alimenta minha alma com alegria, se tornou fonte de abundância e de prosperidade…não estou falando de dinheiro ou de riqueza material…pois toda produção é feita por amor e por propósito de vida. Estou me referindo à riqueza das conexões, dos encontros, do incomensurável, do invisível que torna tudo palpável e faz fluir! Não estamos sós, estamos no flow, unindo forças e energias para transformar nossa realidade, cada um no seu tempo, com suas habilidades, sonhos, projetos, mas todos juntos!
Acredito que as redes sociais digitais podem servir a grandes causas, e o nosso blog e rede Felicidade Sustentável é mais uma gota nesse oceano de possibilidades infinitas para mudança de paradigma do ter para o Ser, da ecologia sistêmica das conexões, onde o respeito e amor a VIDA é fundamento de tudo!

arvore humana

The Tree of Life – Project “SHADOW 2” http://a-apollon.com/
Assim, manifesto minha infinita gratidão por cada comentário, mensagem e participação vibrante e afetiva em nossa fanpage, blog e instagram. Só existimos porque há pessoas iluminadas e amorosas vibrando e querendo um mundo melhor. E tenha certeza, querido leitor, de que seu comentário com sua expressão enche nossa alma de alegria e alimenta nosso propósito!
Abraço fraterno e cheio de amor!
Chirles de Oliveira
OBS.: e se você gosta da nossa rede ajude-nos a divulgar mais e mais. Convide seus familiares e amigos, compartilhe nosso conteúdo, marque as pessoas que você ama! Vamos ampliar nossa rede Felicidade Sustentável que em breve estará mais bonita e com mais novidades!

 

Continuar Lendo