Colunistas

Eu sei que dói, mas passa

Há momentos em que o sorriso terá dificuldades para se mostrar. As esperanças, que pareciam vivas, não terão a mesma chama acessa. Os olhos, de tão embaçados, vão custar a enxergar uma saída. O coração, dentro do corpo cansado, sentirá que é inútil existir. Essas sensações são normais, fazem parte de uma existência onde nada é perfeito e nunca será. Pessoas são levadas. Acumulamos decepções e ilusões. Verdades são ditas e expectativas contestadas. Mas tudo que experimentamos, com certeza, cresce nossa bagagem existencial, nos permitindo compreender qual a distancia entre nós e a felicidade. E a felicidade é um sentimento, por vezes, particular. Ninguém, por mais que nos massacre, pode tirá-la de nós. A vida não é fácil para nenhum ser humano, animal ou vegetal. E todos, em algum momento, já sentiram algum tipo de dor. Porém não há problemas nisso, mas muitos problemas virão se você alimentar o que…

Acho que você precisa se perdoar

Sei que há dias em que estamos profundamente cansados, crentes e descrentes, ansiosos e calmos no mesmo espaço de tempo, entre outras milhares de sensações que assolam o coração e tira o sono. Se você tem vivido assim, será que não é hora de refletir o porquê sente-se tão perdido no tempo? Talvez lhe falte algo muito importante: a capacidade de perdoar a si mesmo por erros que não desejou. Mas não foi isso que lhe fez evoluir? Como é possível acertar sem errar? Como é possível ter sabedoria sem experiências ruins? Como é possível perceber que a luz é necessária quando nunca se andou na escuridão? Como reconhecer que reclamar não transforma sem, antes, olhar para as coisas e sentir, no mínimo, um pouco de gratidão? Não estamos aqui por acaso. Existimos para, mais do que perdoar alguém, perdoar a nós. Porque a culpa pode matar nossos potenciais. A…

Tem gente que descarta corações

Olhamos para a sociedade e pensamos: estão todos perdidos? Estão todos descartando uns aos outros? Estão todos vivendo realmente como gostariam? Estão todos em paz com sua consciência? Estão todos aproveitando as oportunidades? Estão todos conhecendo o amor? São inúmeras perguntas que rodopiam na mente dos contemporâneos. Sim, nós, pessoas tão ocupadas, aceleradas e pressionadas pelo sistema, onde ter mais é melhor do que manter a qualidade daqueles que nos cerca. E triste é pensar que estou me referindo a seres humanos. Vivemos a era da velocidade, onde nada parece ser feito para durar, nem mesmo aqueles que tocaram nosso coração. Quantas vezes achamos que aquela amizade seria para sempre? Quantas vezes trocamos votos eternos? Quantas noites fizemos promessas de uma vida juntos até que a morte nos separe? Vimos muitas pessoas partirem sem explicar o porquê, tal como não se tem uma resposta exata para essas perguntas. Simplesmente as…

Respire, mude, coragem para ser feliz

Você vai continuar agindo assim até seu último dia? É isso mesmo o que escolheu para sua vida inteira? Que sentido você encontra no que está procurando, fazendo, pensando e sentindo? Escolher mudar, sem dúvidas, nos traz rupturas, medos, confusão e, muitas vezes, bastante sofrimento, porque se conformar é sempre mais fácil.   Mas será que não é de uma mudança que você precisa?   Nem toda transformação pode ser ruim. O que custa arriscar? Às vezes, mesmo nas inquietações, é preciso deixar a tranquilidade aparecer, porque nunca saberemos o que existe atrás do medo.   Muitos, após anos de insatisfação, começam a trocar o trabalho que lutou para conquistar, mas que já não lhe traz mais prazer. Terminam o relacionamento de décadas porque já não sentem que essa é a pessoa a qual gostariam de envelhecer ao lado. Retiram sonhos do armário do conformismo e vestem como roupas da…

Nunca vi alguém morrer de amor

Poderíamos falar que o amor, o mais lindo dos sentimentos, é algo eterno. Mas isso seria uma grande mentira para aqueles que não conseguiram terminar a vida ao lado de uma pessoa? Talvez sim, talvez não. A verdade, quesito óbvio, é que o fim do amor não é quando as pessoas rompem suas relações – porque isso pode acontecer e é perfeitamente normal -, e sim quando as promessas não se realizam e a reciprocidade morre primeiro. Não podemos viver acreditando em eternidade, pois as pessoas mudam e os sentimentos também. Contudo, quando o diálogo vira monólogo, as semelhanças viram intolerâncias, as palavras viram facas, tudo começa a se desgastar e, assim, o que chamamos de amor passa a se chamar fase terminal. No entanto, será que isso é bom? Será que toda relação realmente foi feita para durar? Será que, às vezes, não é melhor se retirar do cenário…

Por que esse desespero?

Já parou para pensar sobre as coisas, nessa vida, que realmente importam? Já se deu conta de que todos os dias temos um espetáculo da natureza diante dos olhos e, por corrermos tanto, deixamos isso passar? Já se perguntou o porquê você está tão apegado a alguém que não tem tempo para você? Já se culpou pela rotina que leva? Por pegar o trem lotado? Por acordar cedo? Não se culpe. Há pessoas que só queriam acordar de um coma. Há pessoas que só queriam que alguma triste doença desaparecesse. Há pessoas, agora, em toda parte do mundo, lutando para sobreviver. Então, por que esse desespero? Não se desespere por ter sido desacreditado, pois muitos gênios ouviram que suas invenções jamais dariam certo. Não se desespere se a pessoa amada não lhe corresponde, pois ela não é a única no mundo. Não se desespere se o seu coração foi partido…

Você tem medo de mudanças?

 Todos os dias temos a oportunidade de mudar tudo para sempre. Mas, quantas vezes pensamos assim? Temos nos preocupado mais com o que as passarelas mostram? Temos olhado mais para o outro ao invés de aperfeiçoarmos nosso interior? Temos sido negligentes com a inteligência que nos foi dada? Temos sido ingratos com o ar que respiramos? Temos desacreditado de nós mesmos só por que não aparecemos nas capas de revista ou não temos, ainda, – e nem precisamos -, os últimos lançamentos do mercado? Que todos possuem um estilo de vida, isso é fato. Porém, não pode ser um fato aceitarmos substitutos, ou seja, menosprezarmos a nós mesmos a ponto de buscar nas roupas, maquiagens ou revistas, um antídoto para a baixa estima. Nossa louca e desenfreada forma de compensar o sentimento de inferioridade tem nos levado a ficar a margem de nossa capacidade e talentos. Já pensou sobre isso?…

PARA QUE SERVE SEU PASSADO?

Pessoas nostálgicas, guardiãs de presentes antigos, e adeptas das lembranças, costumam viver apegadas a tudo que já passou. Mas por que agimos assim se nada realmente é eterno? Por que nos desesperamos se o felizes para sempre não existe na vida real? Por que queremos provar, a todo custo, que precisamos ter alguém ao nosso lado para a vida fazer sentido? Por que estamos excessivamente apegados se o outro não é, nunca foi, e nunca será nossa propriedade? O passado serve para nos fazer aprender alguma coisa, que, essencialmente, assim como ele, deve ficar lá atrás, porque a vida só acontece quando olhamos para frente. Não é verdade? No entanto, quantos de nós temos olhado para trás mais do que deveríamos e com isso temos nos sentindo incapazes? Desvalorizados? Perdidos? Dizer adeus ao que foi bom ou ruim será sempre muito difícil, mas é um processo necessário para adquirirmos maturidade…

Depois do amor-próprio

Já pensou no dilema que vivemos, todos os dias, ao acordarmos e ligarmos a televisão, comprarmos uma revista ou, simplesmente, assistirmos um vídeo no youtube? Essas mídias, as pessoas, as ocasiões, o mundo, o capitalismo, a disputa, tem feito com que, rotineiramente  e, incansavelmente, nos sintamos perdidos e incompletos, ou seja, nos bombardeiam com dicas de como melhorar isso, aquilo e, por fim, deixamos de nos amar para ser mais uma cópia. Diante de tantas coisas ditas e soluções instantâneas, acabamos por nos sentir distantes de nós, obrigando o próprio corpo a seguir a ultima tendência, mesmo quando, no fundo, achamos aquilo careta e estranho. Mas quem quer, nesse mundo tão moderno, se sentir excluído do grupo dos capitalistas, egocentristas e exibicionistas? A todo momento estão nos dizendo como se vestir, como falar, como agir. Mas será que isso não machuca nossos sentimentos? Será que não perdemos nossa originalidade? Será…

SEJA MAIOR QUE SUA DOR

O quanto temos aprendido com as quedas? Quantas vezes queremos desistir diante do primeiro não? Por que estamos, assim, tão cansados? Por que a tristeza tem aumentado ao invés da coragem? Por que, agora, você não começa a caminhar longe das coisas e pessoas que lhe magoaram tanto? Seja maior que sua dor É preciso olhar para trás, mas sem o desejo de voltar. Porque a vida acontece quando nos permitimos. Porque quando perdoamos, trazemos oxigênio para alma. Quando damos a liberdade aos outros, evitamos sofrimentos maiores. Quando acreditamos em um sonho, nutrimos mais energia positiva. Quando resistimos às mudanças, perdemos grandes oportunidades de mudarmos nossa história para sempre. Será que você não está passando por isso? Por mais tempestades que tenhamos enfrentado, simplesmente, temos que ser mais fortes do que a dor que nos invadiu. Porque a vida é feita para os fortes, e não podemos ser vítimas de…

Navegue
teste