Resgatando nosso altruísmo

Nascemos seres altruístas, mas conforme somos impactos pela cultura do meio em que vivemos, pelos ensinamentos dos nossos pais, pela escola, pelos amigos que vamos conhecendo, isso vai se tornando oculto, só se revelando, quando estamos ao lado de pessoas próximas, que conhecemos e que nos damos bem.

O documentário “A revolução do altruísmo” ilustra bem essa questão de maneira inteligente e simples, comprovando e lembrando-nos do quanto somos seres iluminados e bondosos desde o nosso nascimento, seres que querem o bem, que se preocupam uns com os outros.

Ele mostra ainda como essa corrente do bem existe, principalmente em casos de tragédia mundial, mas que não damos tanta importância e que se começássemos a ver isso, poderíamos mudar nossa forma de enxergar o mundo.

Mas como resgatar esse sentimento bom em nossas vidas ou como levar isso para fora de nossa mente e transformar em realidade?

– Seja empática!

Acredito que tudo tem que começar pelo nosso tratamento com as pessoas que não conhecemos, pois como falei anteriormente, temos uma mania de nos importarmos com quem é próximo de nós, mas quando vamos para a rua, não levamos esse sentimento tão forte, sei que pode parecer clichê, mas, seja gentil!

Pratique mais o sentimento da empatia, que nada mais é que se colocar no lugar do outro, se pergunte diariamente:

Estou tratando essa pessoa como eu gostaria de ser tratada?

Aqui no blog Felicidade Sustentável inspiramos muito vocês a serem as melhores versões de si mesmos e outra dica que nos leva a uma prática melhor do altruísmo de maneira bem literal é:

– Doe seu tempo e seu trabalho a alguém que precise!

O trabalho voluntário é algo benéfico para a sociedade, obviamente, pois proporciona uma melhoria para diversas causas que precisam de ajuda, mas ele também pode ser um meio de nos encontramos com nós mesmos, de nos conhecermos melhor, de melhorarmos nossa evolução e de praticarmos o altruísmo que existe em nós, mas que está ali adormecido.

Quando nos dispomos a ajudar alguém, trabalhamos nossa empatia, fortalecemos e ampliamos nossos ciclos de amizade e também podemos aumentar nosso bem-estar espiritual.

Isso tudo acontece porque nos sentimos úteis, com a autoestima alta por poder ajudar com o nosso conhecimento e nossas habilidades, é sentir que “Eu posso ser a diferença na vida de alguém!”.

Se você não sabe como dar o primeiro passo, o projeto Plante Amor divulga projetos sociais que precisam de ajuda de certa forma, seja de doações e/ou voluntários.

– Assista menos televisão

Por mais que o nosso acesso na internet tenha aumento cada dia mais, a televisão ainda é o principal meio de comunicação no nosso país e, infelizmente, a mídia está cheio de notícias ruins, não que tudo não seja verdade, mas você parou para pensar qual foi a última notícia boa que você viu num jornal de televisão? Lembrou? Pois é, difícil!

Com isso, vamos sendo impactados, nossa esperança vai ficando morta, reclamamos mais da vida e entramos num ciclo de pensar que esse mundo não tem mais jeito, né?

A dica então é essa desligue mais a televisão, comece a curtir e acompanhar mais pessoas que te inspirem, que falem também de coisas boas, essa atitude vai mudando nossa percepção de mundo e percebemos que o altruísmo estava ali, sempre esteve, mas nunca enxergamos com os olhos certos.

Nos últimos anos, a necessidade de se criar uma boa atmosfera e de resgatar esse sentimento que nos falta, fez nascer lindos projetos como o Só notícia boa, Hypeness, Razões para Acreditar e o Plante Amor, cada um com sua particularidade, todos com um objetivo em comum, divulgar boas notícias fazendo um contra ponto com a nossa mídia tradicional atual.

Não quero deixar receita de bolo para vocês, pois não foi comigo que aconteceu e acredito que não é assim com ninguém, mas deixo aqui essas três dicas que foram cruciais para que eu pudesse enxergar o altruísmo e minha própria vida de outra forma.

Se eu pudesse resumir esse texto numa frase só ou numa só dica diria:

Queira mudar seu olhar, se afaste de pessoas que só te fazem crer que tudo só vai piorar, acredite que o mundo é muito grande para que vejamos só pelo prisma da escassez, do descrédito. Acredite que tem um mundo lá fora a ser explorado e que se cada um participar desta teia altruísta, estaremos no constante caminho de uma evolução.

Gratidão!

Deixe seu comentário

Navegue
teste