Quando a amizade é verdadeira?

Ao longo da vida encontramos pessoas que passam por nós por um instante, uma breve experiência, uma caminhada ou uma jornada. Por essas diferentes situações, o que torna uma amizade verdadeira?

Muitas pessoas tem a oportunidade de cultivar amigos desde a infância, os amigos de longa data; outras conseguem viver intensamente uma amizade pelo período de trabalho, de férias, de um retiro, pois algo é construído ali. Talvez sejam reencontros!

Na verdade, há muitas situações de encontros, sintonias, sincronicidades, e nenhuma fórmula ou explicação para os laços afetivos tecidos numa relação de amizade verdadeira.

E o que é amizade para você? É longevidade ou intensidade?

Muitas vezes, queremos uma vida permanente onde tudo é estável. Mas a vida e os grandes sábios tem nos mostrado exatamente o contrário, que crescemos quando mudamos. Quando permitimos dar um passo, depois outro, numa caminhada que precisa de fé, coragem, dedicação, e encontros, sejam eles um pouco mais duradouros, ou não.

Para mim, amizade é a capacidade de estar junto, de viver alegrias e tristezas, de celebrar a vida, de trocar experiências, de partilhar sentimentos e segredos, de acolhimento, de doação sincera do tempo, da capacidade de gerar e viver o amor fraternal. Dizem que a versão do amor mais desinteresseiro é a amizade. E acredito que seja realmente.

Quando amamos um amigo, queremos que ele fique bem, que ele conquiste seus sonhos e que na hora das dificuldades encontre um ombro amigo para desabafar. E mesmo que ele esteja distante, que ele faça uma caminhada solo, torcemos para que ele seja feliz!

Nem sempre poderemos estar juntos, de mãos dadas, pois os caminhos podem fluir para diferentes direções, e tudo bem, pois isso, necessariamente, não significa separação. É simplesmente o tempo das coisas.

O tempo nos faz seguir em frente e nessa jornada nos faz chegar e partir. Quantas vezes chegamos na vida de alguém e pensamos em ficar ali para sempre? Você lembra da sua primeira amiga do jardim ou do prezinho? E os amigos do colegial, da faculdade, do primeiro emprego, dos projetos sociais que você participou, dos cursos e imersões que realizou…onde estão todos eles?

Com certeza todos tem um lugar guardado em nossos corações. Todos deixaram algo em nós e levaram algo de nós também. E se deixaram um pouco de amor e levaram uma pitada de alegria, companheirismo, risadas, compreensão, então essa caminhada super valeu a pena.

No fim, tudo o que construímos baseado no amor e no afeto perdurará mesmo à distância. A impermanência da existência é que ditará as horas das chegadas e das partidas, as horas dos encontros e das despedidas. E assim, vamos tecendo uma teia da vida cheia de pontos, e que em cada ponto haja um enlace verdadeiro de amizade, de gentilezas, de atenção  e de conexões amorosas.

No mais, deixa a vida fluir como um rio livre até ele encontrar o vasto oceano de possibilidades.

Abraços Fraternos!

 

Deixe seu comentário

Navegue
teste