Como você olha sua vida?

Perguntas sempre rondam nossas vidas. Ora queremos saber o porquê de todas as coisas, ora aceitamos, mesmo que forçadamente, a natureza de tudo que há no universo e que, com certeza, impacta nossa existência. E se não conseguimos compreender alguns silêncios, não saberemos como agir com sabedoria, já que toda tempestade passa e deixa lições.

Sei que às vezes é doloroso ouvir que o inverno há de terminar e a primavera se abrirá sobre nós, mas essa é uma grande verdade, tão factual que nos prova o quanto temos que aprender com a natureza.

Será que os galhos congelados se acham feios e inúteis? Não. Eles não pensam assim. Porque sabem que essa é só uma fase e que logo mais adiante, sem que precisem mudar seus valores e a natureza que lhes foi dada, irão florescer e serão cenários de fotos e elogios. Mas vejam bem: são as mesmas árvores, apenas vivendo épocas diferentes.

E o que isso tem a ver com a gente? É simples: uma pessoa não é aquilo que ela está enfrentando. Ela é o que decide ser. Todos somos dotados de imensos e inenarráveis potenciais. Por que não percebemos isso? Estamos demasiadamente confortáveis? Ou será que a evolução custa muito e não estamos dispostos a fazer sacrifícios?

Que a gente nunca deixe de se perguntar, porque esse é o primeiro passo para grandes mudanças internas. Há, em cada ser, uma força nata e poderosa o suficiente para criar, pensar, orar, amar, sonhar e viver, ao invés de apenas existir.

E você, o que tem praticado todos os dias? Quais são seus pensamentos mais frequentes? Tem medo do inverno e se torna covarde, ou tem fé que a primavera chegará?

Jamais deixem de confiar na missão à qual vieram destinados, por isso não se comparem, pois aqui, nessa terra, a caminhada é individual. E, por favor, queridos companheiros de viagem, lembrem-se do que diz Icara Fonseca: Cada um terá a vista da montanha que subir.

Comecem a subi-la!

Deixe seu comentário

Navegue
teste