ESPERO QUE NÃO SEJA TARDE DEMAIS

 

Como diz o poeta Pedro Chagas Freitas: “Há tantos amores que morreram por falta de sonho, provavelmente todosDeixamos de tentar quando deixamos de sonhar”.

Será que isso não está acontecendo com você? Até onde está indo sua coragem? Quanto a sua necessidade de manter quem não quer ficar, o que tem feito a respeito? Seus sonhos?  Ah, em que lugar eles foram esquecidos? Já pensou em reanimá-los? Afinal, você está vivo!

Sua existência clama para que você a perceba enquanto há tempo. Amores, sejam eles quais forem – o amor pelos sonhos, por alguém, por um animal -,  precisam de atenção, de carinho, de cuidados, de tempo e, principalmente, de disposição para fazer dar certo.

E esse é o grande dilema: estamos muito indispostos para fazer as coisas durarem. Talvez porque é mais fácil sair pela porta do que ficar. Talvez porque trocar de corpo é mais atraente do que apreciar um só. Talvez porque somos as vítimas bombardeadas pelas propagandas. Talvez porque nos cansamos de nos dedicar e é sempre melhor não ter obrigação nenhuma. Talvez porque não sabemos nos expressar. Talvez porque somos um conjunto de traumas. Talvez porque não sabemos quem somos.

Espero, então, que a gente, ainda nessa vida, se encontre. Pois nada é mais triste do que existir sem ter propósitos. Porque quando isso acontece, certamente, passaremos a “viver em função dos outros”. E os outros não são responsáveis por nos fazer feliz. Por isso, meu querida (o), se você tem amor por alguém, ou por si mesmo, saiba sonhar.

Mas se lembre que esse “alguém” não pode receber mais amor do que sua própria alma, provavelmente você vai entender isso um dia. Espero que não seja tarde demais.

Deixe seu comentário

Navegue
teste