Monthly Archives for agosto 2016

Fale da sua dor…

Colunistas, Felicidade - Jared Amarante - 20 de agosto de 2016

Fingir que não está doendo é ilusão. É jogar sujeira embaixo do tapete. Mas e quando vir à tona o que foi guardado e, temporariamente, esquecido? Como será sua reação? Todos passamos por desilusões, porém podemos voltar a enxergar sentido na vida, mesmo que algo, ai dentro, esteja doendo. A única forma de fazer um ser humano enxergar suas dores, nomeá-las e buscar uma solução, é permitindo-o falar o tanto que quiser…Fale da sua dor

 

Ás vezes, ou em quase todos os momentos, só queremos alguém que nos escute, que nos ceda um ombro ou que, simplesmente, nos abrace. No entanto, na correria do dia a dia, cada vez mais as pessoas estão profundamente ocupadas e correndo para lá e para cá. Mas já pensou quantas dores, mortes, depressões e doenças seriam evitadas se pudéssemos ouvir a dor de alguém e quando precisarmos termos alguém que também faça isso?

 

Estamos carentes de atenção, porque o capitalismo diz que o mais importante é acumular. Mas e quando a alma acumula mais feridas do que cicatrizes? Vale a pena? Com certeza necessitamos, na falta de alguém que nos ouça – até mesmo porque ás vezes somos nós que não conseguimos dizer nada -, buscar acalmar o coração, pois nada está tão perdido que não possa ser encontrado. Não há escuridão tão grande que dure a noite toda. Não há dor tão forte que não seja remediada. Tudo tem seu tempo!

 

É importante pensarmos na dor que habita em nós, porque ao senti-la conseguimos encontrar, aos poucos, sua origem, e assim, dia a dia, buscar ter mais calma, respeitar a sabedoria do tempo e do universo, dar liberdade àqueles que amamos, porque sabemos que ninguém é propriedade de ninguém, acreditar que a positividade é o melhor caminho. E, mesmo doendo tanto, ter a convicção de que todas as coisas, ao final, servem como aprendizado. Sempre há uma resposta quando somos pacientes.

 

Portanto, nesse intervalo entre a ferida aberta e a cicatriz, é imprescindível que a gente se conheça melhor, trace novas rotas, perdoe o próximo, sonhe mais alto e, acima de tudo, reflita sobre o que diz Lao Tsé: Aprenda a confiar no que está acontecendo.Se há silêncio, deixa-o aumentar, algo surgirá. Se há tempestade, deixa-a rugir, se acalmará

 

Continuar Lendo

O AMOR SEMPRE CHEGA

Colunistas, Felicidade - Jared Amarante - 12 de agosto de 2016

Você sabe que nada está realmente perdido, não é mesmo? Você sabe que nenhuma dor machuca demais a ponto de nunca ser remediada, né? Você sabe que por mais saudade que sintamos, ainda assim, não morremos, correto? Você sabe que mesmo tendo sido “deixado”, nem todas as pessoas farão o mesmo, tudo bem? Você aprende que tudo nessa vida passa, entende? Você começa a aceitar que antes de amar alguém deve amar a si, ok? Você, então, concorda que muitos lhe machucaram, mas um dia chegará àquela pessoa que não fara isso, beleza? O amor sempre chega…

E é com tantas interrogações, porque a vida é feita de mais perguntas do que respostas, que as coisas vão fazendo sentido em nosso dia a dia. Já reparou nisso?

Um dia chegará àquela pessoa que vai desejar estar ao seu lado em silêncio, e mesmo assim terão bons momentos juntos. Que vai te ligar a qualquer horário só para dizer que estava pensando em você, sem cobranças e excesso de carência. Que terá todo cuidado do mundo ao proferir uma palavra, porque não quer magoar seu cansado coração. Mas essa será uma pessoa também com defeitos, mas disposta a dar o melhor para o relacionamento. Isso já faz uma grande diferença!

Essa mesma pessoa, quando chegar, estará animada para sair na chuva e te encontrar. Não se importará em ter apenas dez reais para tomar uma casquinha, pois o que importa é a companhia. Que sentirá prazer e calmaria quando os corpos se encontrarem, o que apenas ajudará a aquecer o coração e a alma, já que a caminhada a dois nunca será fácil, porém sempre será incrível e repleta de aprendizado. Porque há mais dos outros em nós do que podemos imaginar.

Será esse um ser humano que conhecerá seus pontos fracos e fortes, mas nunca irá usá-los para lhe punir ou menosprezar-te. E quando você estiver bem, ou não, lhe dará a mão para que acredite no seu potencial e volte a realizar sonhos. Juntos vocês aprenderão mais sobre o amor e a lealdade, seja tolerando o atraso, o estresse, as diferenças. Esse alguém fará você se renovar, e vice e versa.

No meio de tanta confusão, esse mesmo alguém, vai te acalmar e olhar nos olhos e dizer que não quer ir embora, mas que aceita suportar a tempestade ao seu lado. E quando isso acontecer você descobrirá que diante de uma soma de desilusões sempre será possível crer no amor de outro coração. Nós nascemos para amar.

Sendo assim, alguém ainda vai te desejar quando lhe ver com o cabelo despenteado e as cutículas mal feitas. Alguém vai despertar o seu melhor apenas com um olhar e meia dúzia de palavras encorajadoras. Alguém que vai querer, todo dia, conhecer um pouco mais das suas opiniões sobre a vida. Alguém que vai te olhar por dentro e jamais pedir que você mude, mas que seja o seu melhor, e assim terá o melhor do outro. Porque o amor é simplesmente um verbo: CUIDAR.

 

Continuar Lendo

“As mudanças de hábitos e suas resistências”

Felicidade - Chirles Oliveira - 8 de agosto de 2016

Na nossa vida diária, repetimos atitudes e ações que sabemos que nem sempre nos trazem satisfação, mas seguimos repetindo e não conseguimos mudá-las. Se eu sei que determinado assunto sempre me traz conflito com determinada pessoa, por que sigo repetindo o mesmo argumento em cada discussão? Se sei que comer determinada coisa não me cai bem, por que insisto em comer?

Saber que algo não nos faz bem, não é o suficiente para solucionar a questão. Porque a primeira resistência em mudar está em nos mesmos. Está na nossa falta de energia em finalizar tudo o que fazemos (física), pensamos (psíquica) e comunicamos (energética). E tudo o que fica incompleto, gera mais pensamentos, reforçando ainda mais esse automatismo e desperdício de energia.

passaros voando

Estamos programados para repetir tudo aquilo que nos gera uma satisfação momentânea. E isso é fácil de entender. Mas como explicar o fato de seguir repetindo aquilo que sabemos que não nos faz bem?

O objetivo nessa situação é buscar uma compreensão dos mecanismos mentais que alimentam essa resistência. Por trás de tal defesa existem aspectos visíveis e invisíveis. E é essa cegueira que, em Shri Vivek Yoga, chamamos de resistências ou chantagens mentais.

Resistência é tudo aquilo que reage contra a ação de outro corpo ou comportamento. Quando estamos no estado negativo (tóxicos fisicamente e mentalmente), é ainda mais difícil ver as resistências e combatê-las.

Isso acontece porque, quando estamos no estado negativo, só vemos desvantagens em mudar (isso se torna um hábito). Em tudo o que fazemos, há uma intenção de não querer modificar o próprio comportamento.

Em outras palavras, há um pessimismo escondido com relação à mudança (na verdade, queremos mudar, mas no fundo, fazemos tudo para não mudar, nos auto-sabotamos).

Um desequilíbrio na química do corpo é responsável pelo surgimento de pensamentos negativos, assim como um pensamentos negativo muda a química do corpo, dando origem a uma enfermidade. Entramos num ciclo de resistências psico-somáticas que nos impedem dar o primeiro passo.

Se já estamos nesse estado, então o que podemos fazer para nos libertarmos das resistências?

Primeiro, é preciso querer superar essas resistências e esclarecer para si mesmo por que e para que mudar.

O problema é que queremos mudar, mas não estamos dispostos a fazer nenhum esforço para isso (em Shri Vivek Yoga, damos o nome de “letargia” a esse estado). Em estado letárgico, nos falta energia para sermos conscientes das nossas resistências e atuar.

A prática contínua de ásanas (posturas), pranayamas (respirações), mantras (cantos com vibração) e meditação (silêncio mental), aliados a uma alimentação ayurvédica (adequada à nossa condição física e mental) nos dá energia para sairmos do estado letárgico. Liberando as toxinas do corpo, aumentamos a nossa capacidade de ver as resistências.

Para esse trabalho mental, os yoguis praticam a Ghyan Yoga (tradição de perguntas e respostas entre mestre e discípulo). Essa é a parte da yoga que permite desenvolver o intelecto (VIVEK) e a capacidade de pensar (repetir aquilo que sabemos que não nos faz bem significa letargia mental). É a parte da yoga que se aplica na vida cotidiana, para solucionar os conflitos, melhorar as relações e desfrutar da vida.

Por isso, para combater os mecanismos que alimentam as nossas resistência e os hábitos negativos, devemos direcionar nossos esforços nas 3 dimensões em que a energia se manifesta:

▪ Física (corpo)

▪ Psíquica (mente)

▪ Energética (comunicação, compreensão)

Shri Vivek Yoga é uma ciência acessível a todos, transmitida pelo mestre auto-realizado Shri Guruji Swami Vivekananda. Trabalha a energia nas 3 dimensões, por isso é capaz de acessar as resistências ou chantagens mentais. Todos os ensinamentos são aplicáveis na vida cotidiana, para melhorar a relação consigo mesmo e com os outros.

Ao reestabelecermos o nível de energia que precisamos, o fluxo de prana (energia vital) aumenta, a capacidade de atuar surge e passamos a completar nossas ações, sustentando os hábitos saudáveis. E aqui é onde a VIDA começa a melhorar!

Babi Minamoto
*Babi Minamoto é Coach de Shri Vivek Yoga, formada pelo Nirkpesh Sannyas Ashram (Índia) e Centro Shri Vivek Yoga (Barcelona). Terapeuta Ayurvédica, coordena as atividades de Shri Vivek Yoga no Brasil, com a colaboração do Yogui indiano Jivan Vismay. É colaboradorado site Nowmastê e idealizadora do projeto “Yoga & Ayurveda Experience”.

Conheça mais sobre Shri Vivek Yoga: www.yogashrivivekbrasil.wordpress.com

Texto compartilhado em parceria com o site Nowmastê

foto de capa by Banco de imagens Pixabay

Continuar Lendo

O Valor da Oração

Vida Saudável - Chirles Oliveira - 8 de agosto de 2016

A oração é uma força na qual usamos a nossa vontade como impulso de ação para transformar a realidade e a nós mesmos. Tendemos a ver a oração como algo que está no âmbito do religioso, ou mesmo da superstição. A oração, porém, é uma ação, e como toda ação, tem o seu resultado. Continuar Lendo

Continuar Lendo

E se você for esquecido?

Colunistas, Felicidade - Jared Amarante - 4 de agosto de 2016

Qual é o legado que queremos deixar para as pessoas? Quais são nossos maiores medos? Por que temos a necessidade de atenção? Por que alguma pessoas, em busca de aplausos, são capazes de coisas absurdas e desumanas? Atitudes que podem ir desde um assassinato até o sepultamento do amor-próprio, o que com certeza deve ser considerado uma grande perda, porque o amor-próprio não deve ser arrogante, mas também não pode ser ausente. A vida é feito no equilíbrio de todos os sentimentos.

No entanto, em busca desse equilíbrio existem aqueles que farão de tudo para não serem esquecidos. Talvez porque estão sempre dependendo de elogios? Talvez porque confundem carência com amor? Talvez porque nunca tiveram atenção dos pais e buscam isso nos amigos? Talvez porque o rosto não é como o da modelo da revista que tem gratuita atenção de multidões? Talvez porque estão, todo dia, nos dizendo que ser como somos não é o suficiente e nunca será? Triste época!

Não é um crime, tão pouco um pecado, querer ser reconhecido por seus esforços e talentos. Contudo, não se pode deixar-se perder no meio do caminho, ou seja, nem todos vão achar nossas atitudes extraordinárias, mas não significa que não somos realmente brilhantes. Mais vale reconhecer que continuamos especiais sem o aplauso de todos do que desistirmos de nós porque esse ou aquele não viu o quão habilidosos fomos ao realizar algo.

A sinceridade e a beleza da nova geração está sendo perdida aos poucos, principalmente quando vivemos a espera do que o outro vai dizer ou aprovar. Isso é tão triste! Um veneno! O mais importante é ser amado por quem nos conhece e deseja nosso bem, os demais são apenas estranhos.

Sair no jornal, receber curtidas e elogios, não significa felicidade ou exaltação, porque lá, geralmente, nas redes sociais ou numa conversa de cinco minutos na balada, não estão as pessoas que mais amamos, por isso quase nunca faz – ou não deveria fazer -, diferença o que elas dizem, pois ao término da última música já seremos esquecidos.

Ser menos amado ou menos especial não tem nada a ver com fama e holofotes, e sim com os momentos que você compartilha com as pessoas que fazem seu coração bater mais forte e seu sorriso alargar. Desta forma, se não é um país inteiro que lembra de você, fique tranquilo, porque em algum lugar do mundo, às vezes até bem perto, existe alguém que te ama de todo coração. Isso é tão valioso! É impagável!

Não seja escravo das multidões, porque elas irão te “amar” pelo que você tem, ou até quando terá para oferecer, isto é, não é um sentimento verdadeiro, mas de certo interesse. Portanto, não queira ser amado por todos, e nem viva esperando isso, mas queira ser amado por poucos, de repente, por um, desde que seja profundamente. Isso é como ser aplaudido de pé pela vida.

Continuar Lendo