Não olhe para trás, por favor

 
“Ando devagar porque já tive pressa. E levo esse sorriso porque já chorei demais”…Quantas vezes essa frase, da música tocando em frente, cantada por Almir Sater, traduziu nossa vida? Pois é, será, então, que não precisamos fazer exatamente o que diz o verso? Ou seja, andar mais devagar porque a pressa arranca a beleza das coisas que mais desejamos realizar. E sorrir porque pode ser um santo remédio para o dia a dia. Porém, mais do que tudo isso, será que não precisamos abrir mão de algumas coisas? Ou seja, não retornar à lugares onde somos tolerados ou, muito menos, desejar novamente os abraços de alguém que um dia nos deixou escapar.
 
Sendo assim, é importante refletir sobre as coisas que estamos desejando, porque muitas delas não vão realmente nos fazer feliz, e sim prolongar um sofrimento. A vida, por mais bela e instigante que é, sempre será uma incerteza, mesmo quando fazemos planos, por isso é necessário redirecionarmos nossa energia, isto é, saber aonde estamos indo e o porquê estamos. Perdemos muitas oportunidades quando permanecemos apegados ao que não faz mais sentido. E, claro, muitos dirão que você é egoísta, mas você pode responder que está apenas tentando proteger seu coração. E proteger o coração é, em muitos momentos, reconhecer a hora de calar, de gritar, de fazer as malas, de abrir a porta e ir, mesmo amando muito, porque o que você não pode é não se amar demais. Entendeu?
 
Tenha coragem para se afastar das pessoas que você tem que implorar atenção. Tenha sabedoria para reconhecer que o silêncio, ás vezes, é a melhor resposta diante de um coração profundamente machucado. Aceite que você não pode exigir das pessoas sentimentos que você tem para dar, porque cada um oferece aquilo que consegue diante das circunstâncias atuais de sua vida, e você é assim também. Não se acostume com um relacionamento onde haja pouco diálogo e falta de interesse um pelo outro, pois isso significa das às mãos e continuar sozinho. Não fique nem mais um minuto no emprego que não lhe faz bem, porque trabalhar não pode ser um sacrifício, mas uma benção.
 
A lição mais valiosa que precisamos aprender está em perceber que devemos nos permitir ser gente. Gente que cai e levanta. Gente que tem depressão e supera. Gente que foi ferido, mas continua acreditando nas pessoas. Gente que sabe perdoar para ter paz ao deitar a cabeça no travesseiro. Gente que reconhece que as pessoas que mais amamos nos ferem também. Gente que não desiste dos seus sonhos porque se recusa a ser uma vitima da existência. Gente que sabe que não dá para ter o controle de tudo e que errar é evoluir
 
Vamos olhar para dentro de nós, ao invés de fixarmos a atenção no que pode dar errado. “Esqueça” os caminhos que não trouxeram nada de bom. “Delete” pessoas que fizeram você chorar muito, mas aprenda algo. Não se machuque esperando amor dos outros. Lembre-se de que há um herói que pode salvá-lo da depressão, dos medos, e fazê-lo viver. O desafio está em perceber que esse herói tem o seu nome, ou seja, se encontre e não aceite menos que a felicidade.

 

 
Mas seja feliz hoje e, por favor, não olhe para trás. 
 
 

Deixe seu comentário

Navegue
teste