Porque sou bonito assim, entendeu?

 

Já pensou o quanto estamos idealizando o corpo perfeito? Já pensou o quanto estamos, constantemente, cobrando das pessoas o que elas não podem oferecer? Já pensou o quanto de desgaste temos tido por querer que o mundo gire sempre a nosso favor? Já pensou o quão impotentes temos nos sentido por descobrir, dia a dia, que não podemos mudar as pessoas? Já pensou o quanto temos nos angustiado por perceber, simplesmente, que as capas de revistas não são os melhores padrões de beleza e que as academias não evoluem a alma? Já pensou quanto tempo perdemos nos preocupando com o que está no externo ao invés de aperfeiçoarmos o que, de fato, somos por dentro? Melhor, nos aceitarmos no espelho.
Mas o que você é por dentro? Alguém que só reclama? Alguém que prefere usar a roupa de marca a ter que perceber que isso não a torna mais atraente? Ou você é daqueles que, sem maquiagem, se sente a pessoa mais feia do mundo? Será que isso não é medo de ser quem o espelho mostra? A verdadeira beleza consiste no quanto estamos dispostos a sermos melhores a cada dia, e não em seguir, desesperadamente, o que as revistas de moda estampam. Essa é a maior estupidez para nossos olhos! Vocês concordam?
Precisamos olhar mais para os valores que estamos cultivando, sem achar que temos que encontrar perfeição em nós ou nas pessoas, porque isso não acharemos nessa vida, desconfio de que em outras também não. Por isso, vamos nos achar bonitos como somos. Entenderam?
É hora de parar de querer se adequar aos modelos que vemos na televisão, nas novelas, nas capas de revistas femininas ou masculinas, porque isso, certamente, nos fará viver em constante agonia, acreditando que não somos suficientemente bons para sermos amado como, de fato, somos. Quem nunca se sentiu assim? É tão triste, né?
As pessoas que realmente nos amam vão continuar a nos amar e desejar-nos mesmo quando acordamos despenteados, quando nossas roupas não são de grife, quando a maquiagem acabar, quando as unhas estiverem com cutículas ou, simplesmente, quando não conseguirmos corresponder na hora esperada o tanto de coisas que o coração alheio exigiu. Então, vamos, urgentemente, nos esforçarmos para não sermos metódicos, isto é, desesperados para sustentar imagens criadas, porque elas são as maiores responsáveis pelos problemas que temos nos relacionamentos, seja com as pessoas ou com nossas próprias verdades. Já pensaram sobre isso?
Cada pessoa tem o direito de ser o que deseja, e poucas coisas podem destruir tanto a auto-estima do que ferirmos, com nossos conceitos individuais, o direito dos seres humanos serem quem realmente sentem que são. Quando pensamos ao contrário, começamos a ver nossos relacionamentos definharem, pois ao invés de valorizarmos os sentimentos verdadeiros, ficamos, exaustivamente, atarefados com a preocupação de viver o que o outro nos impõe e, conseqüentemente, de designar tarefas para quem está ao nosso lado. Poucas coisas são tão tristes! Quando vamos entender que subordinar o cônjuge é a melhor forma de ser infeliz?
Não importa quão delicada seja uma situação, apenas o próprio indivíduo que a vive é capaz de saber se é hora de ir embora ou ficar mais um pouco, tendo a consciência de que cada um sabe as dores, as carências, as renúncias, as dificuldades que terá que enfrentar para ser o que realmente quer ser. Mas, lembre-se, isso se chama evolução. Não é isso que estamos buscando aqui?
Sendo assim, desejem companheiros (as) que estão dispostos a lhe amar como você é, porque quando as rugas – e todos passarão por isso -, chegarem você não poderá ter alguém que apenas lhe queira pela beleza. Então, queira alguém que, ao se sentar na cadeira de balanço, saiba conversar com você, porque o diálogo pode transformar qualquer ressentimento em amor. Insegurança em coragem. Medos em determinação. Sonhos em realidade. Relacionamentos em boas oportunidades de compartilhar amor-próprio.

 

Seja lindo (a) como o espelho lhe mostra, e é isso que as pessoas enxergarão. Quem está ao nosso lado só pode ver o que permitimos, ou seja, a segurança ou insegurança que vemos em nós mesmos. Portanto, independentemente se estamos acima do peso ou se nosso rosto não tem as curvas do photoshop, devemos nos sentir belos. Felizes por sabermos que temos alguém ao nosso lado que nos amará como somos, e não como espera que sejamos. Afinal, a frase ninguém nos faz inferior sem nosso próprio conceito,deve ser a oração para os relacionamentos, para nós, para a vida.
*Banco de imagem by Pixabay

5 Comentários

  1. Parabéns pela linda crônica. Tem um ditado que diz: “Se você não é rico e nem bonito, seja pelo menos engraçado, assim as pessoas vão te aceitar”. O ser humano tem uma grande necessidade de ser aceito e com isso vai cedendo a tirania a das aparências, corpos perfeitos, mentes vazias.

  2. Oi querida Dilma, que bom ter ver por aqui! O pessoal geralmente só deixa comentário no facebook, mas deixamos esse espaço para vocês se expressarem e opinarem sobre tudo! Concordo que nossa sociedade pós moderna, midiática, glamourizada pela tv e pelo cinema impõe padrões muito rígidos e aprendemos desde criança…mas precisamos quebrar essas amarras e viver de forma intensa e inteira…não vamos mudar o mundo, mas podemos mudar nossa relação com esses conceitos e padrões para assim vivermos mais livres!
    bjos no coração! Até a próxima!

  3. Adorei, parabéns. Minhas rugas estão aparecendo, aos poucos, mas estou me dando bem com elas. São as minhas marcas. Beijos #felicidadesustentavel

  4. Oi querida Ana, rugas lindas que contam uma linda trajetória…como não amar nossas marcas, acolher nossas quedas, e festejar nossas vitórias…isso é a vida! bjo no coração <3

  5. Carlos Eduardo Cavalcanti Silva Reply

    Lindo texto sobre a verdadeira beleza, não aquela padronizada e que nos torna escravos de modelos de beleza que não tem nada a nos oferecer, mas a beleza real, aquela que é a nossa essência, que vem do nosso interior. Virei seu fã.

Deixe seu comentário

Navegue
teste