fevereiro 2015

9 Posts Back Home
Showing all posts made in the month of fevereiro 2015.

Nosso infinito particular

Momento de contemplação nos jardins do trabalho. A semana foi bem produtiva e seu diferencial foi o Curso Introdução aos Pranayamas (Práticas Respiratórias do Yoga) que participei de 23 a 27 de fevereiro, no CEPEUSP.Aliar a agenda lotada com essas aulas e práticas tornou minha semana repleta de leveza e saber. Estudar com o prof. João Carlos Gonçalves, do Instituto Paulista de Sânscrito é realmente uma delícia. Ele discorre sobre a filosofia indiana e o sistema de Hatha Yoga com tanta maestria que inspira à leitura e ao aprofundamento no tema. Afinal, esse caminho do autoconhecimento é facilitado pelos professores e gurus, mas a caminhada é solitária e requer disciplina no estudo e na meditação. Mas, gostoso mesmo é praticar e os profs. Marcos Rojo e Danilo Santaella proporcionaram esses momentos de encontro com nosso infinito particular por meio da prática dos asanas e dos exercícios de respiração, ou melhor, dos Pranayamas, até…

Minha mãe é uma cidadã sustentável!

Filha de peixe, peixinha é!Antes de decidir pelo Jornalismo, queria fazer Biologia Marinha (as reportagens sobre o fundo do mar me fascinavam). Pensando bem – e só agora me dou conta disto –, esse encanto pela natureza é um traço na minha vida acadêmica. Sou formada como técnica em Geologia na antiga ETFRN[1], em Natal, hoje IFRN[2].No meu tempo de faculdade, não existia sequer discussão sobre Globalização, muito menos Meio Ambiente, Mudanças Climáticas ou coisas afins. E, por isso, atribuo meu interesse pela sustentabilidade aos programas Repórter Eco e Planeta Terra, que assistia na TV Cultura.Se existia uma semente de interesse, ela encontrou um terreno fértil quando decidi estudar no Mestrado exatamente essa temática. Eu queria pesquisar sobre algo que mexesse comigo, que fosse apaixonante. E minha dificuldade como pesquisadora foi exatamente aprender a me distanciar e olhar meu objeto de estudo com imparcialidade, sem levantar bandeiras. Dei trabalho para…

Temperos na janela: orgânicos, saudáveis e versáteis

Não precisa de muito espaço para você ter uma mini-horta em sua casa. O que você precisa é ter um ambiente que pega bastante sol, pois as ervas aromáticas precisam de luz, calor e água todos os dias. Ah! e uma boa dose de carinho também! As plantas são seres vivos, então, nada de abandoná-las. Quanto mais você cultivar, mais elas crescerão e lhe darão bons aromas e sabores. Ao voltar do trabalho hoje, decidi me presentear com a minha hortinha. Já tive outras vezes vasos com as ervas compradas em supermercados. Mas hoje aprendi que elas precisavam ser replantadas e que talvez esse tenha sido o motivo delas não terem durado tanto. Como expliquei, elas precisam de água e muito sol. De preferência, sol o dia inteiro, ou pelo menos num período do dia, por isso as coloquei na janela. Quero que elas fiquem lindas, verdes e cheirosas. Segundo o especialista…

Suco verde, sabor pela vida!

O suco verde de hoje foi bem especial. Ele não tinha ingredientes mágicos, mas me deu muita energia, afinal de contas ele tinha muita intenção e desejo de saúde! Bati no liquidificador maçã, salsa, coentro e spirulina (um pó à base de algas que dá essa cor verde intensa ao suco).   E não tomei de manhã cedinho. Tomei à tarde, quando retornei com muita gratidão do Espaço Natureza. Todas as quartas-feiras me dou de presente algumas horas de cuidado. Um mimo, um luxo necessário para equilibrar minhas energias neste mundo tão intenso de estímulos, de estresse, de emoções conflitantes. Juro que estou na batalha para viver uma vida mais tranquila e saudável, mas morando em São Paulo, confesso que não é nada fácil. Por isso, estou buscando constantemente voltar-me para o que realmente importa para minha saúde e longevidade. Entretanto, percebi que apesar de levar uma vida saudável com…

A Evolução do Discurso da Sustentabilidade

As críticas à cultura de consumo apontam ora para um apocalíptico “fim da história”, ora para a ingênua, embora radical, renúncia ao bem-estar material. Nasce o discurso do consumo dito consciente, conclamando os indivíduos à reflexão sobre o potencial transformador das escolhas e usos que fazemos dos produtos, expondo o consumo como um ato de cidadania. Mas há de se convir que esse discurso, muitas vezes, é ambíguo e aponta para outra direção, como no caso do discurso da sustentabilidade já traduzido em atributo de compra. Contextualizando historicamente a evolução do discurso da sustentabilidade, consideramos que o primeiro movimento da comunidade internacional aconteceu em 1968, quando se estabeleceu a resolução 2938 da ONU, convocando uma reunião mundial para examinar problemas do „ambiente humano‟ que exigissem cooperação internacional para serem solucionados. A partir da década de 1970, esse conceito de sustentabilidade emergiu nas discussões entre países e empresas, sobretudo após…

Refletir, aprender e mudar!

Você já se perguntou como vai querer estar quando chegar à melhor idade? Pensar no futuro não me parece uma preocupação da nossa sociedade. Em tempos de amor líquido (Bauman) e do Império do efêmero (Lipovetsky), pensar no futuro é algo quase bizarro. Mas vamos fazer esse exercício hoje? Quem disse que velhice tem que ser sinônimo de doença, acomodação e sofrimento? O que eu sei é que ter qualidade de vida depende das nossas escolhas no agora. E me pergunto: Por que é tão difícil escolher viver bem? Comer bem e saudável, dormir no mínimo 8 horas e sem interrupções, (ou seja, sem insônias de preocupação!), fazer exercícios, escolher desacelerar e optar por usar o TEMPO, sim, ele, o elemento mais precioso da modernidade, com sabedoria? Ouvimos inúmeras vezes sobre cuidados essenciais que precisamos desenvolver para termos uma vida plena. Há programação na televisão dedicada à temática do Bem…

#Oquefazvocêfeliz? Vamos analisar esta questão?

Será que precisamos realmente de tudo o que compramos? No filme “Os delírios de consumo de Becky Bloom”, vemos uma representação, de certa forma bem humorada, do “american way of life”, ou melhor, do estilo americano de viver. Mas, claro, não é uma representação apenas da sociedade americana. Esse estilo está disseminado de forma global e várias culturas baseiam-se nessa corrida  às compras desenfreadas como sinônimo de alívio de tensões, prazer e satisfação. Trabalhamos duro, suamos a camisa para ter momentos de satisfação nas compras. Exagero ou realidade? Compras, cartões de crédito, impulsos, vitrines, foco na aparência. Armadilhas bem estimulantes vendidas como propagadoras de felicidade. Ou, ainda, como qualidade de vida. Sim, somos envolvidos desde crianças pela cultura do consumo, no universo de shopping, lojas, moda, modismo, gostos e não gostos. Influências vindas de nossa casa, da escola, dos amigos, dos meios de comunicação, do cinema, enfim, de todos os…

Entendendo como tudo começou…

O discurso da sustentabilidade, oriundo de grupos minoritários até então ─ambientalistas, militância anticorporação, movimentos sociais, etc. ─ começa a ocupar espaço privilegiado, conquistar a grande mídia e a agenda internacional, sobretudo, a partir da conferência ECO-92. Ao entrar para o mainstream, a sustentabilidade desponta como nova tendência, capaz de influenciar as ações de governos, empresas e indivíduos. Nossa correlação com o meio ambiente fica cada vez mais evidente e ignorar esse fato é uma missão quase impossível. Afinal, estamos sentindo na pele todos os efeitos das mudanças climáticas. Nesse contexto, o discurso da responsabilidade social empresarial e do consumo dito consciente pode ser entendido como estratégia de negócio e de fortalecimento da imagem corporativa e reputação das organizações. A busca por melhor visibilidade da marca pós-moderna fez com que algumas empresas ocupassem papel mais social e investissem em ações outras, que valorizassem sua imagem institucional, criando projetos que atendam aos…

Caminhada inspiradora

Circuito de caminhada do condomínio onde moro Cuidando da mente e do corpo nesse lugar tranquilo no meio de São Paulo E a manhã começou com uma vontade, uma vontade de fazer algo bom, diferente e saudável. Fiz um suco verde que ficou lindo e gostoso e sai para caminhar. Bem, antes publiquei no Facebook aquela foto de um suco verde vibrante, cheio de energia, cheio de nutrientes importantes para meu corpo, para minha disposição matinal. Sai para caminhar, pois meu propósito é cuidar de mim de forma global, holística: mente, corpo e espírito. Então, tentei reunir tudo isso na minha caminhada. O lugar é lindo, cheio de árvores, flores, sons, cores, vida. E ali, caminhando para ajudar o meu corpo a responder positivamente às solicitações do dia a dia, agradeci e observei os detalhes do lugar. Sim, foi uma caminhada diferente, apesar de no mesmo lugar de sempre. Foi…

Navegue
teste